John Bella defende bolsa de criação para escritores infantis

Escritor Jonh Bela (Foto: Angop)

O escritor angolano John Bella advogou hoje, sábado, a implementação de uma bolsa de criação para os escritores que publicam obras infantis, bem como a publicação obrigatórias das obras e maior simbiose entre as escolas, escritores e associação de escritores.

Em declarações à Angop no âmbito do Dia Mundial da Literatura Infantil, que hoje se assinala, o escritor é de opinião que a literatura infantil tem baixado de produção e qualidade por falta de incentivo e de humildade de muitos novos talentos que não procuram se aconselhar e aprender com os mais rotulados nas lides literárias.

De acordo com o escritor, embora muita coisa positiva tenha sido já feita, a literatura infantil actualmente está estagnada, não se comparando com os anos dourados como as décadas de 80 e 90, onde apareceram escritores e com talentos.

“Muitos dos escritores da nova geração escrevem obras sem o cunho pedagógico, fazem por emoção e não com a razão e esta literatura dirigida para crianças deve ser para educar e em vez de educar acaba a debilitar os estudantes, alunos”, sublinhou.

Para o também professor de história, a nova geração de escritores deve procurar os mais experientes como Dario de Melo, Cremilda de Lima, Eugénia Neto, Maria Cristina Fernandes, entre outros, para ser aconselhada, dirigida como deve ser feita.

John Bella defendeu que deve ser entregue, uma vez por mês, incluído na merenda escolar, um livro infantil de escritor nacional para assim valorizar a literatura e as crianças tomarem contacto com o gosto pela leitura.

Segundo a fonte, os professores têm responsabilidades acrescidas no desenvolvimento das crianças, razão pela qual devem obrigar os estudantes a terem no livro um verdadeiro amigo.

John Bella, pseudónimo literário de Jorge Marques Bela, nasceu bairro Sambizanga, em Luanda, é Sociólogo de formação, membro da UEA e secretário-geral adjunto da Brigada Jovem de Literatura Angolana (BJLA).

Publicou o seu primeiro livro de poesia intitulado “Água da Vida” em 1995, o qual foi distinguido, em 1996, com o prémio de “Escritor do Ano em Angola”.

Em 2011, lançou o romance “Os Primeiros Passos da Rainha Njinga” e seguidamente, em 2012, publicou o romance “O Regresso da Rainha Njinga”. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA