Israel: Suprema Corte reduz pena de líder islamita condenado à prisão

(AFP)

A Suprema Corte de Israel rejeitou nesta segunda-feira o recurso apresentado pelo pregador islamita Raed Salah contra sua condenação por incitação à violência, mas reduziu sua pena de 11 para nove meses de prisão.

Em Outubro de 2015, o religioso foi condenado em segunda instância a 11 meses de prisão por incitação ao ódio. Em 2007, ele convocou “todo muçulmano e árabe a vir em ajuda aos palestinianos e a lançar uma Intifada islâmica” na Esplanada das Mesquitas, lugar sagrado para muçulmanos e judeus, em Jerusalém.

Na época, seu advogado anunciou que ele recorreria à Suprema Corte para nova apelação.

Hoje, essa alta instância rejeitou o pedido, mas decidiu reduzir em dois meses a pena de Raed Salah “em razão do fato de que, transcorridos nove meses desde o evento, (Salah) não cometeu crimes similares”, de acordo com o texto da sentença.

Raed Salah deve começar a cumprir sua pena em 8 de maio de 2016. Ele lidera o braço norte do Movimento Islâmico. Seu grupo foi proibido pelo governo israelita, em Novembro passado, acusado de incitar árabes israelitas e palestinianos à violência, propagando “mentiras” a respeito da Esplanada das Mesquitas. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA