Guiné-Equatorial: Partido de Teodoro Nguema reivindica vitória eleitoral

Partidários do Presidente cessante, Teodoro Obiang Nguema,no último dia de campanha , em Malabo.22 de Abril 2016 (STR / AFP)

Os equato-guineenses foram neste domingo às urnas para eleger o seu presidente num ambiente de calma. Seis candidatos da oposição apresentaram-se frente ao Presidente cessante, Teodoro Obiang Nguema, com 73 anos e no poder desde 1979, ano em que através de um golpe de Estado destituiu o seu tio, Francisco Macias Nguema, na liderança do país desde a independência em 1968.

A votação para a eleição presidencial da Guiné Equatorial decorreu numa atmosfera de calma e disciplina segundo as autoridades locais. Não foi revelada a taxa de participação ao escrutínio que deveria consagrar mais uma vez o Presidente cessante Teodoro Obiang Nguema , no poder após o golpe de Estado que em 1979 resultou na destituição de Francisco Macias Nguema, Chefe de Estado desde a independência do país em 1968.

Seis candidatos da oposição, considerados principiantes em política, foram os rivais de Teodoro Obiang Nguema, na presidencial do dia 24 de Abril, entre eles, Bonaventura Monsuy Asumu do Partido da Coligação Social Democrata(PCSD), Carmelo Mba Bakaleda Acção Popular de Guiné Equatorial(APGE) e Avelino Mocache Mehenga da União do Centro Direita (UCD), bem como três independentes, Agustin Masoko Abegue, Bendicto Obiang Mangue e Tomas Mba Monabang, cujos partidos não conseguiram a legalização.

A Frente da Oposição Democrática (FOD), que agrupa o principal partido da oposição Convergência para a Democracia Social(CPDS), a União Popular(UP),a Força Democrática Republicana e o Movimento para a Autodeterminação da ilha de Bioko, lançou no dia 23 de Março um apelo para o boicote da eleição presidencial, considerando que todas as condições estavam reunidas para a fraude.Os partidos da oposição acusaram o poder vigente de amordaçá-los.Gabriel Nse Obiang Obono do Partido Ciudadanos Por la Inovacion (CI) ,figura da oposição, teve igualmente a sua candidatura invalidada, por não ter residido cinco anos consecutivos no país antes da eleição, como o estipula a Constituição equato-guineense.

O secretário-geral do Partido Democrático da Guiné Equatorial(PDGE), no poder, Jeronimo Osa Osa Ecoro prognosticou a vitória do candidato Teodoro Obiang Nguema com uma margem superior à 90% dos votos exprimidos.O apuramento definitivo dos sufrágios será comunicado na quinta-feira, dia 28 de Abril .Na eleição de 2009, o Presidente Obiang Nguema , decano dos Chefes de Estado africanos pela sua longevidade no poder, tinha arrecadado 95,3% dos votos O escrutínio do domingo estava inicialmente previsto para Novembro de 2016. Um decreto presidencial antecipou a eleição para 24 de Abril, mas nenhuma explicação foi dada para a mudança de data do escrutínio. Para a eleição de domingo, o Presidente Obiang Nguema liderou uma coligação de dez partidos, da qual faz parte nomeadamente o Partido Democrático da Guiné Equatorial. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA