Estudantes angolanos em Cuba podem ser expulsos a qualquer momento

(VOA)

Acusam embaixada angolana de não os ajudar.

Dez estudantes angolanos em Cuba podem ser expulsos a qualquer momento depois de terem sido afastados da universidade que frequentam.

Eles foram acusados de agredir um colega que encontraram no quarto a roubar os seus pertences, algo que acontece quase que diariamente no estabelecimento onde se encontram.

Os estudantes afirmam que, apesar a promessa de ajuda da Embaixada de Angola, nada foi feito e agora podem ser deportados.

A VOA noticiou a 23 de Março que 10 estudantes angolanos do Centro Universitário José António Echevarria, em Havana, corriam o risco de serem expulsos depois de terem agredido um ladrão na residência deles.

O caso, conforme um estudante abordado na altura, foi a gota de transbordou o copo em virtude de serem constantemente vítimas de roubos.

Enquanto corria o processo disciplinar, osestudantes reuniram-se com o Embaixador de Angola, José César Augusto “Kiluanji, e o responsável do Inabe, identificado como Dr. Gustavo.

“O embaixador disse-nos que tínhamos cometido um delito, que pedíssemos desculpa e nos comportássemos bem, e que ele iria ajudar-nos”, afirmou à VOA nesta terça-feira, 26, um estudante que pediu o anonimato com medo de represálias.

A nossa fonte revela que os “estudantes angolanos estão a ser perseguidos” naquela instituição de ensino e acusa “a reitora de ter afirmado que nenhum angolano terminará a carreira”.

Aliás, um dos formandos que está a um mês de defender a tese de licenciatura foi suspenso recentemente.

Frente a esta situação, os demais colegas estão solidários com eles e pedem a intervenção da embaixada “porque é á única alternativa que temos.

A VOA tentou falar com a embaixada angolana e o responsável do Inabe em Havana, mas não foi possível. (VOA)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA