Eleições na Guiné Equatorial

Teodoro Obiang Nguema, o presidente africano há mais tempo no poder (Reuters/James Akena)

A Guiné Equatorial vai este domingo a eleições. O presidente guineense Teodoro Obiang Nguema, que acedeu ao poder há 36 anos após um golpe de estado, concorre para obter um novo mandato.

A campanha presidencial ficou marcada pela recusa da oposição em participar nas eleições por a considerarem uma fraude. Teodoro Obiang Nguema, o presidente africano há mais tempo no poder, fica assim com apenas 6 candidatos a concorrer contra ele. Os observadores internacionais consideram que a reeleição é certa e pode ser uma repetição da eleição de 2009, em que o chefe de Estado ganhou com 95% dos votos.

Obiang Nguema anunciou que esta será a sua derradeira candidatura mas os próximos suspeitam que a família se manterá no poder. O filho, Teodorín Obiang Mangue, é o segundo vice-presidente do país e tem ganho cada vez mais poder no seio do governo guineense.

A Guiné Equatorial aderiu em 2014 à CPLP. É um país cuja economia depende fortemente do petróleo. No entanto, o único Estado de expressão espanhola em África continua pobre, com mais de metade da população a ganhar menos de dois dólares por dia. É também conhecido pela corrupção e pela repressão dos opositores políticos e dos órgãos de comunicação. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA