Cunene: Vice-governador avalia funcionamento das instituições do ensino superior

Cunene -Vista parcial da Escola Superior Politecnica de Ondjiva(ESPO) (Foto: Arquivo)

O vice-governador para o sector Político e Social da província do Cunene, José do Nascimento Veyelenge, visitou nesta sexta-feira a Escola Superior Pedagógica de Ondjiva (ESPO) e o Instituto Superior Politécnico do Cunene (ISPC), para inteirar-se do seu funcionamento e as dificuldades que as mesmas enfrentam.

Na ocasião, José do Nascimento Veyelenge percorreu as várias dependências das instituições, sobretudo os laboratórios e salas de aulas, com vista a avaliar as condições de estudo e de trabalho a que estão submetidos os estudantes e docentes.

O vice-governador reuniu com o corpo directivo das duas instituições e recebeu informações sobre o número de discentes admitidos, bem como as condições de acomodação dos quadros, estudantes internos e respectivas dificuldades.

No término da visita, José Veyelenge mostrou-se satisfeito pelo nível de organização das instituições e outros aspectos que considerou positivo.

Precisou que foram manifestadas preocupações relacionadas com o número insuficiente de docentes, salas de aulas e laboratórios equipados, pelo que esforços serão envidados, no sentido de se dar resposta a essas dificuldades.

José Veyelenge frisou que alguns aspectos mereceram soluções ainda este ano a nível local, enquanto outras preocupações serão levadas ao governo central.

Por seu torno, o decano do Instituto Superior Politécnico do Cunene, Nemésio Serafim Diel, fez saber que mil e 157 estudantes estão a frequentar o ano académico de 2016, nas especialidades de engenharia Agropecuária, Hidráulica, Informática e gestão, enfermagem, analises Clinicas e Laboratório.

Com 18 salas de aulas, a instituição dispões de 80 docentes de nacionalidade cubana, cinco vietnamita e 13 nacionais.

Já o decano da Escola Superior Pedagógica de Ondjiva, Paulino Soma Adriano, salientou que a instituição recém-criada na província conta com o curso de biologia, onde estão a ser formados 571 estudantes. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA