Cuanza Norte: Comuna de Camame ganha sistema de abastecimento de água potável

Cuanza Norte: Comuna de Camame ganha sistema de captação e distribuição de água (Foto: Eliseu Veloso)

A comuna de Camame, município do Ngonguembo, Cuanza Norte, ganhou, sábado, um sistema de captação, tratamento e distribuição de água, construído no âmbito do programa ”Água para Todos”, cuja cerimónia de inauguração foi orientada pelo vice-governador provincial para área técnica e infra-estruturas, Ernesto Erlindo Lidador.

O sistema, com capacidade para bombear 22 metros cúbicos de água/hora, foi construído em 18 meses e tem como ponto de captação os rios Calucala e Cambondo, há 500 metros da sede comunal do Camame que, dista a 85 quilómetros de Quilombo Quiaputo, sede do município do Ngonguembo.

Compreende ainda um reservatório de 400 metros cúbicos, área de tratamento, duas bombas elevatórias, uma estação elevatória intermédia, bem como um laboratório de análise de qualidade.

O empreendimento está conectado a um grupo gerador de energia eléctrica de 65 KVA e vai beneficiar 360 populares da sede comunal e aldeias periféricas como Recta, Canjungo e Mucunji.

Para a satisfação das necessidades de consumo, foram construídos quatro chafarizes com quatro torneiras cada e igual número de lavandarias em vários bairros da localidade, assim como efectuadas 29 ligações domiciliares.

Na ocasião, o vice-governador Erlindo Lidador referiu que a construção do referido centro de captação e distribuição de água contribuirá para a redução de doenças causadas pelo consumo de água não tratada, como as diarreias e a oncocercose.

Garantiu que o Governo da província continuará a colocar sistemas de fornecimento de água potável em todas as comunas, visando cumprir o legado do primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto, segundo o qual “O mais importante é resolver os problemas do povo”.

Apelou a população no sentido de cuidar do referido bem, por forma a manter a durabilidade do investimento e melhor beneficiar a si mesma, assim como permitir que o Governo se engaje em outras acções que venham melhorar as condições de vida das comunidades.

A comuna compreende uma população estimada em mil e 889 habitantes, maioritariamente, camponeses distribuídos em diversas aldeias.

Os residentes da comuna, numa mensagem, mostraram-se satisfeitos com a inauguração do sistema em causa, tendo agradecido o esforço do governo na satisfação das necessidades da população local.

Lembraram que a população da zona consumia água imprópria retirada de rios, cacimbas e da chuva e poços que eram partilhados com animais como elefantes.

Solicitaram do Executivo a reparação das vias de acesso que servem a circunscrição, por se encontrarem em mau estado de conservação, com todas as consequências que disso advém.

A inauguração foi testemunhada por membros do governo provincial, das administrações municipal e comunal, por autoridades tradicionais e população em geral. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA