Confrontos entre membros da Unita e da Casa Militar da Presidência deixam 12 feridos

Membro da Unita ferido nos confrontos (UNITA)

Deputado e secretário provincial da Unita revela incidentes no sábado, 23, em Cuando Cubango.

Elementos de uma delegação da Unita e membros da Casa Militar da Presidência da República no Mukusso, em Cuando Cubango, entraram num confronto no passado sábado, 23, que terminou com 12 feridos dos dois lados.

O secretário provincial do principal partido da oposição no Cuando Cubango disse à VOA que tudo começou quando membros afectos à Casa Militar da Presidência da República tentaram impedir um acto de massas da Unita na Comuna do Mukusso, município do Dirico, com o apoio de membros locais das Forças Armadas.

Adriano Sapinhala revelou que a perseguição da caravana por elementos da Casa Militar começou no Rivungo e culminou na comuna do Mukusso.

”Os homens da Casa Militar começaram a agredir os nossos membros, motoristas e seguranças, uma tremenda confusão se instalou, houve inclusive disparos de arma de fogo e eles ameaçaram queimar as nossas viaturas”, conta Sapinhala, revelando que dois elementos da Unita e 10 da Casa Militar ficaram feridos.

Aquele responsável questiona a competência da Casa Militar para intervir em questões politicas.

”A Casa Militar é afecta ao Presidente da República porque um órgão militar da Presidência da República tem que interferir e impedir actos políticos vendo os partidos como inimigos”, pergunta o também deputado Adriano Sapinhala.

A delegação da Unita, no entanto,prossegue a sua actividade politica por vários municípios da província do Cuando Cubango.

Apesar dos esforços não foi possível, até agora, falar com a Casa Militar da Presidência da República. (VOA)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA