Chuva de segunda-feira causa quatro mortes em Luanda

Chuva em Luanda, Avenida Deolinda Rodrigues (Foto: Pedro Parente)

Quatro pessoas morreram na segunda-feira, em Luanda, em consequência da chuva que caiu no fim da tarde e princípio da noite, em vários municípios da cidade capital.

O porta-voz do comando provincial do Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros (SNPCB), Faustino Minguês, informou que dois irmãos de seis e oito anos de idade foram arrastados no rio Cambamba, no distrito urbano do Kilamba-Kiaxi, quando uma das paredes da residência em que viviam desabou.

Já no distrito urbano da Ingombota nas proximidades do ex-Largo do Kinaxixi, bairro do Patrice Lumumba um homem de 43 anos morreu electrocutado.

“ Este cidadão encontrava-se numa motorizada na companhia de um amigo, ambos caíram em um buraco na via pública, onde havia um posto de iluminação desactivado, mas com os cabos descarnados e com corrente eléctrica”, esclareceu.

Neste caso, acrescentou, o amigo conseguiu saltar para fora do buraco, mas a vítima teve morte imediata. A quarta morte foi de um homem de 30 anos de idade também electrocutado no interior do quarto onde vivia no município do Cazenga devido as inundações.

O oficial garantiu que a administrações dos distritos urbano do Kilamba Kiaxi, Ingombota e município do Cazenga estão já ao corrente da situação, para apoio material ou psicológico às famílias das vítimas.

No balanço provisório, o Serviço de Protecção Civil refere que a intensa chuva registada em Luanda, durante aproximadamente seis horas, causou o desabamento de dez residências construídas a margem do rio Cambamba-II, no município de Belas.

Segundo a fonte, a chuva inundou mais de cinco mil habitações, deixou ruas intransitáveis, em certos bairros, o que está a dificultar a circulação de peões e do trânsito automóvel, com ênfase para a “Zona do Coelho”, Avenida Kima Kianda e Salinas nos municípios de Viana, Belas e distrito da Ingombota.

Nos diversos municípios e distrito, com realce para a Ingombota, Maianga, Sambizanga, Viana e Belas, registaram-se a queda de árvores, painéis de publicidade, postos de iluminação pública e algumas viaturas ficaram soterradas.

De acordo com o responsável, a chuva impediu a circulação dos comboios do Caminho-de-Ferro de Luanda (CFL) devido a grande quantidade de lixo arrastado pelas águas para a linha férrea entre os municípios do Cazenga e Viana.

Faustino Minguês fez o apelo para se redobrar os cuidados com as crianças. Apelo esse dirigido sobretudo às famílias que vivem em locais de risco como encostas, linhas de água, entre outros.

“Quando estiver a chover, devem, igualmente, evitar andar descalços, manter as valas de drenagem limpas, não construir nas margens de canais, desligar a corrente eléctrica, cortar a água e o gás e não procurar abrigo em zonas descampadas ou em baixa de árvores”, recomendou Faustino Minguês. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA