Capacidade de abastecimento de água potável aumentará em 2017

Ministro da Energia e Água - João Baptista Borges (Foto: Franscisco Miudo)

A capacidade de abastecimento de água potável à cidade capital vai aumentar para 400 mil metros cúbicos por dia até 2017, informou hoje, quinta-feira, em Luanda, o ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges.

O titular da pasta deu a conhecer o facto à imprensa, no final da 7ª reunião ordinária conjunta das comissões Económica e para a Economia Real do Conselho de Ministros, que sob a orientação do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, analisou os projectos estruturantes nos domínios da energia e águas (constrangimentos e prazos de conclusão).

“Sabemos que com o crescimento populacional da capital, que actualmente atinge 6 milhões e 900 mil habitantes, segundo o último censo da população, às necessidades de abastecimento de água aumentaram”, referiu o ministro.

Adiantou que perante este quadro, o sistema actual não cobre para além de 57 porcento das necessidades de consumo de água, daí que foram gizados projectos de ampliação da capacidade de abastecimento deste líquido, com a construção de dois grandes sistemas e ampliações de outros, de forma que possamos ter a curto prazo uma capacidade de abastecimento que se ajuste a população de Luanda .

“Estamos a falar em aumentar a capacidade de abastecimento em cerca de mais 400 mil metros cúbicos de água por dia. Este é o programa estruturante mais importante no domínio de abastecimento de água a Luanda”, precisou.

Para além deste programa, avançou que foi também prestado, durante a reunião, uma informação sobre o estado de execução dos projectos estruturantes do sector eléctrico.

“Como sabem é um sector também que conhece obras de investimento de vulto e foi prestada a informação sobre o projecto de construção do empreendimento hidroeléctrico de Laúca, na província do Cuanza Norte, que deverá entrar em funcionamento a partir de Julho de 2017”, frisou.

O titular da Energia e Águas referiu-se igualmente sobre o aproveitamento hidroeléctrico de Cambambe (Cuanza Norte), que vai ter uma capacidade total de 960 megawatts. A primeira turbina deverá entrar em funcionamento em Junho deste ano.

Informou ainda que a central de ciclo combinado do Soyo (província do Zaire), que está também em fase de construção e terá uma capacidade de 750 megawatts, deverá entrar em funcionamento em Fevereiro de 2017.

De acordo com o ministro, todos estes empreendimentos e sistemas de transporte e associados, que também estão a ser construídos, vão permitir que a capacidade de produção atinja os 5 mil megawatts, meta que o Executivo se propôs a atingir em termos de capacidade de produção.

A capacidade actual de distribuição de energia eléctrica a cidade de Luanda é de 2 mil Megawatts. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA