CaixaBank oferece 1,113 euros por ação na OPA sobre o BPI

(CHEMA MOYA/EPA)

Comunicado da instituição catalã, maior acionista do BPI, refere ter já pedido ao Banco Central Europeu a suspensão das possíveis sanções contra o banco português.

O CaixaBank oferece 1,113 euros por cada ação do BPI nas condições da oferta pública de aquisição (OPA) que é nesta segunda-feira anunciada ao mercado. O banco catalão, que já é o principal acionista da instituição financeira liderada por Fernando Ulrich com uma participação de 44,1%, afirma, em comunicado com data de 18 de abril, ter já pedido ao Banco Central Europeu (BCE) “a suspensão das possíveis sanções contra o BPI com a finalidade de permitir ao CaixaBank encontrar uma solução para o excesso de concentração de riscos” que ocorre no mercado angolano, pela exposição através do Banco de Fomento Angola (BFA).

A entidade oferente justifica o preço com a explicação de que reflete “a média ponderada da cotação nos últimos seis meses e pressupõe uma avaliação do BPI de 1.622 milhões de euros”, adiantando que se dispõe a pagar os títulos em numerário. A operação incide sobre todas as ações que o CaixaBank ainda não controla, que representam 55,9% do capital total do BPI.

A OPA está sujeita a algumas condições identificadas pelos investidores espanhóis: “A eliminação da limitação de 20% nos direitos de voto do BPI”, alcançar “mais de 50% do capital” do banco alvo e a “obtenção das autorizações regulatórias aplicáveis”. O CaixaBank explica que a OPA “surge após não ter sido possível fechar um acordo satisfatório com a Santoro Finance para resolver os problemas de concentração de riscos em Angola por parte do BPI”. (OBSERVADOR)

por João Cândido da Silva

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA