Benguela: Seminário recomenda acções de mitigação do risco de calamidades

Benguela: Calamidades naturais (ilustração) (Foto: António Lourenço)

A necessidade das administrações municipais desenvolverem acções de mitigação dos riscos de desastres e construção de resiliência das comunidades foi recomendada quinta-feira, em Benguela, pelo seminário sobre elaboração de plano provincial de preparação e contingência face à calamidades.

Os participantes, entre os quais directores, delegados provinciais e administradores municipais e comunais, concluíram que as administrações devem integrar a mitigação do risco de calamidades em seus planos, garantindo assim a diminuição contínua da ameaça e, ao mesmo tempo, inserindo as comunidades nas fases de adopção e execução.

Segundo o documento final, os seminariandos apelaram às administrações municipais e comunais que tenham em conta os factores de risco das respectivas zonas no processo de licenciamento de obras.

À Comissão Nacional de Protecção Civil foi recomendada a necessidade de desenvolver uma gestão integrada e proporcionar uma resposta multi-sectorial em situações de acidentes graves ou desastres.

A imperatividade de a Comissão Provincial de Protecção Civil e Bombeiros em Benguela organizar uma reunião ordinária para analisar, avaliar e aprovar o presente plano provincial de contingência, bem com inscrevê-lo no programa específico do orçamento do governo provincial consta das recomendações.

Outra recomendação prende-se com a criação de mecanismo para elevação da cultura de segurança das populações, por via da educação comunitária para evitar-se a construção em zonas de risco, a não obstrução das zonas de drenagens assim como a não deposição de lixo em locais impróprios.

De igual modo, o encontro apelou os participantes para desenvolverem habilidades para responder em situações de desastres, assim como para a realização de acções de formação das entidades e forças integradas na protecção civil para melhor actuação em casos de calamidades.

O seminário decorreu de 5 a 7 de Abril e abordou o plano nacional de preparação, contingência, resposta e recuperação de calamidades e desastres, no período 2015-2019, o processo de planeamento provincial, o conceito de preparação e planificação de contingência, a identificação de desastres históricos e definição de cenários de impacto máximo provável na província.

Numa organização da Comissão Nacional de Protecção Civil, o seminário contou igualmente com a participação de comandantes municipais da Polícia Nacional, técnicos das administrações municipais, entidades eclesiásticas, tradicionais e políticas. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA