Benguela: Sector da Educação contará com mais 14 colégios privados na província

Benguela: Gika Morais - Vice-governador provincial para o sector Económico (Foto: Rosário Miranda)

O sector da Educação na província de Benguela contará ainda este ano com mais 14 escolas privadas para atenuar a falta de salas de aula que se regista actualmente, afirmou hoje, sexta-feira, o vice-governador para o sector económico, Gika da Conceição Morais.

O responsável que falava na sessão de abertura do workshop sobre o ensino particular, promovido pela direcção provincial da Educação avançou que os 14 colégios que deram entrada de seus respectivos documentos são de formação geral e técnico-profissional, nas diversas áreas de ensino.

Segundo o vice-governador estes novos colégios juntam-se as actuais 48 que se encontram nos municípios de Benguela, Catumbela, Lobito, Cubal e Ganda.

Gika Morais enalteceu a importância da interpretação correcta das orientações sobre o ensino privado em Angola, como garante e sustentáculo na execução e implementação do ensino particular na província.

O vice-governador instou aos potenciais empresários do ramo a apropriarem-se das normas jurídico- legais para a abertura de colégios, tendo sublinhado ainda a importância da realização do workshop para o reforço da gestão interactiva e participativa.

Por seu turno, o director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia de Benguela, Samuel Maleze Quinda, disse que o workshop visa criar espaço de diálogo entre os proprietários, os gestores e o sector da Educação, proporcionar oportunidades aos empresários e empreendedores para que invistam no ensino privado, assim como fornecer ferramentas jurídicas legais para a abertura de colégios.

O workshop que teve duração de seis horas, dividiu-se em dois painéis com temáticas ligadas aos pressupostos legais para a criação e legalização de colégios à luz do decreto presidencial 207/11, requisitos mínimos que uma escola deve possuir, custos operacionais de um estabelecimento de ensino e o funcionamento do colégio (tutela, avaliação, docentes e direcção).

O plano nacional de formação de quadros, o ensino técnico profissional em Angola (desafios e oportunidades) e sobre a gestão eficaz e vantagens do associativismo, foram outros temas abordados no evento que contou com prelectores provenientes do ministério da Educação, e do governo. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA