Artur Santos Silva: problema do BPI em Angola “vai resolver-se bem”

(Foto: D.R.)

O presidente não executivo do BPI está confiante de que o problema do banco em Angola se “vai resolver bem”. Artur Santos Silva não deixou de lamentar que o BPI tenha de sair de Angola.

“Vai resolver-se bem”. Foi com esta expressão de confiança que o presidente não executivo do BPI, Artur Santos Silva, respondeu aos jornalistas sobre se será possível os dois maiores accionistas do banco chegarem a um acordo para resolverem o problema do BPI.
O banqueiro não quis fazer quaisquer outros comentários, à saída de um almoço organizado pela ACEGE – Associação Cristã de Empresários e Gestores e de que foi orador convidado para falar sobre a conciliação entre a criação de valor económico e valor social.
Santos Silva fez questão de sublinhar a sua “tranquilidade” em relação à necessidade de o BPI encontrar uma solução para reduzir a exposição a Angola até 10 de Abril, data limite dada pelo Banco Central Europeu para que a instituição liderada por Fernando Ulrich cumprir a exigência do supervisor europeu.
O fundador do BPI, que já disse que só estava no banco porque o problema angolano não está resolvido, não deixou de lamentar o facto de o BCE ter imposto a saída da instituição de Angola.
“Fizemos [BPI] uma obra extraordinária em Angola. Infelizmente, o BCE não nos deixa continuar lá”, desabafou perante a plateia de empresários e gestores católicos. (jornaldeneocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA