Apple: Ao 13.º o volume de negócios baixou

(EURONEWS)

Algum dia tinha de ser: após 13 anos sempre a crescer, o volume de negócios da Apple recuou no primeiro trimestre do ano, a meio do exercício (fiscal) da tecnológica de Cupertino. Como “um azar nunca vem só”, os lucros da empresa também sofreram uma quebra tal como as vendas do icónico iPhone, facto inédito desde o lançamento, em 2007, do telefone multi-funções que revolucionou o mercado das comunicações móveis.

Para um analista da Forrester, neste momento “não parece haver nada que possa levar a um crescimento significativo da Apple (…) a situação só se poderá alterar se a empresa lançar um produto inovador” ou preços que cativem mais clientes. “Na ausência de inovação nos preços ou nas características dos produtos vamos estar perante um mercado menos activo e mais incerto”, conclui Frank Gillett.

Os lucros da Apple caíram 22,5% para 10.520 milhões de dólares (9.310 milhões de euros) no trimestre que terminou em Março. No mesmo período foram vendidos perto de 51,2 milhões de aparelhos iPhone, menos cerca de 10 milhões do que em igual período do ano passado.

As vendas dos iPhone representam 65% do volume de negócios, que também baixou, no caso 13% para 50,6 mil milhões de dólares.

((Lá diz o ditado: “não há mal que sempre dure, nem bem que nunca acabe”)) (EURONEWS)

por Marco Lemos | com REUTERS, LUSA, EFE

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA