Angola e Brasil em acordo para viabilizar o comércio

Presidente da República, José Eduardo dos Santos, concedeu audiência ao ministro brasileiro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, que serviu para abordar a cooperação entre os dois países. (Foto: Francisco Miúdo/Angop)

Os dois Estados da comunidade de países de língua oficial portuguesa fortificam as relações com o estabelecimento de um próximo acordo de pagamento bilateral em moedas nacionais.

A cooperação entre Angola e o Brasil e questões de interesse regional estiveram em análise, esta semana, na audiência que o Chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos, concedeu ao ministro brasileiro das Relações Exteriores, Mauro Vieira.

Entrevistado pela imprensa, após o encontro de meia hora, o diplomata brasileiro destacou a importância atribuída pelo seu país às relações de Estado com Angola, acrescentando que abordou com José Eduardo dos Santos “todos os temas de interesse atinentes às relações bilaterais, bem como de índole regional e global”.

O diplomata disse que também se aflorou a situação do acordo de cooperação de facilitação de investimentos, rubricados no ano passado e a possibilidade de, no futuro, rubricar-se um acordo de pagamento bilateral do comércio em moedas nacionais dos dois países.

Outros aspectos da cooperação relativa à defesa, saúde, educação e de importância nas relações bilaterais foram de igual modo analisados com o Estadista angolano, segundo fez saber o diplomata.

“A minha presença em Angola é o testemunho deste grande interesse que o Brasil tem em estreitar, cada vez mais, os laços históricos e tradicionais”, asseverou o ministro, que esteve de viagem à capital do país, para uma visita de trabalho de dois dias.

De acordo com Mauro Vieira, trata-se da segunda visita a Angola desde que assumiu, há um ano, o Ministério das Relações Exteriores do seu país, “o que reflecte o excelente patamar alcançado pelas relações bilaterais e da parceria estratégica entre Angola e o Brasil, estabelecida em 2010”.

“Tratámos das próximas reuniões no contexto deste acordo, abordámos também a possibilidade de celebrarmos no futuro um acordo de pagamentos bilateral do nosso comércio em moeda nacional dos nossos países, além disso, tratámos de questões de cooperação nas áreas da defesa, sanitária e da educação”, referiu o ministro.

Segundo o governante brasileiro, o encontro com o Chefe de Estado angolano serviu para abordar temas de interesse das relações bilaterais, regionais e internacionais. Por seu lado, o ministro angolano das Relações Exteriores, Georges Chikoti, que testemunhou a audiência decorrida no Palácio Presidencial, referiu que a visita do seu homólogo brasileiro “prova o bom nível” das relações entre Angola e o Brasil.

“Podemos constatar que, em todas as áreas, a cooperação entre ambos os países é excelente e existe, da parte do Governo angolano, a vontade de continuar a manter as boas relações existentes”.

Georges Chikoti disse que a presença do seu homólogo no país demonstra o bom nível das relações entre os Estados “neste momento particular em que todos sabemos o que se passa no Brasil e a situação económica que Angola está atravessando”, realçou Georges Chikoti.

Angola e o Brasil têm uma parceria estratégica e regularmente realizam consultas sobre a evolução da sua cooperação bilateral e, igualmente, as questões regionais e internacionais. Apesar da situação económica que os dois países lusófonos atravessam nesta altura, a cooperação continua a apresentar resultados positivos e com grande potencial para expansão, afirmou o director para América do Ministério das Relações Exteriores, Francisco da Cruz.

Os dois países possuem acordos de cooperação no âmbito judicial, de defesa, económico e com a cooperação comercial, em que o Brasil tem providenciado várias linhas de crédito a Angola para o seu programa de desenvolvimento. As exportações de Angola para o Brasil atingiram, no primeiro trimestre deste ano, o valor de 28,6 milhões de dólares contra os 31,8 milhões no mesmo período de 2015.

Já as exportações do Brasil para Angola atingiram o volume, nos três primeiros meses deste ano, de 92, 7 milhões de dólares contra os 647,9 milhões do ano passado. O Brasil foi o primeiro país a reconhecer a independência de Angola.

Em Novembro de 2015, os dois países celebraram, na capital federal (Brasília) os 40 anos do reconhecimento brasileiro da independência de Angola e do estabelecimento de relações diplomáticas.

O Presidente da República efectuou em Junho de 2014 uma visita ao Brasil, ocasião que serviu para a assinatura de acordos sectoriais. Um dos acordos tem a ver com a facilitação de vistos, com o esperado reflexo no trânsito entre os cidadãos, e entre os empresários dos dois países. (jornaldeeconomia)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA