Angola com grandes investimentos em infra-estruturas na África Austral

Deputado Xirimbimbi chefiou delegação parlamentar angolana no Botswana (arq.) (Foto: Lucas)

Angola tem investido fortemente em grandes infra-estruturas como resultado da gestão dos seus recursos naturais, com vista a garantia do desenvolvimento sustentável da sua economia, afirmou, em Gaberone (Botswana), o deputado angolano Salomão Xirimbimbi, durante a 12ª reunião regional da Assembleia Parlamentar Paritária ACP-EU.

Falando durante a abordagem do tema a “Gestão dos Recursos Naturais”, o deputado pela bancada do MPLA, que chefiou uma delegação que participou na Assembleia Paritária que reuniu parlamentares da Região Austral e representantes da União Europeia (EU), referiu que o governo angolano criou um programa de investimentos que têm absorvido vários biliões de dólares do Orçamento do Estado.

Salomão Xirimbimbi salientou a construção, no domínio energético, de novas barragens hidroeléctricas como a de Laúca e a ampliação de outras, entre as quais Kambambe, que verá a sua capacidade aumentada em cinco vezes.

Revelou o parlamentar angolano que o programa governamental prevê a implantação no total de 7.000 MW de capacidade de produção de energia, o que representa um acréscimo de seis vezes mais a actual.

No domínio das infra-estruturas ferroviárias, o governo angolano concluiu já, segundo o deputado, a fase de recuperação das linhas férreas dos três principais corredores (Benguela, Malanje e Namibe), tendo direccionado os investimentos públicos em outras áreas como a criação de plataformas logísticas e a construção e recuperação de ramais ferroviários para as grandes indústrias.

O parlamentar angolano destacou ainda os investimentos nos domínios aéreo (construção de raiz do novo aeroporto de Lunda), portuário (construção de novos portos de Luanda, Cabinda e Porto Amboim), rodoviário (construção e reabilitação de cerca de 5 mil quilómetros de estradas) e das águas (aumento capacidade para 1,029,095 m3/dia como disponibilidade global de água para consumo humano).

A delegação angolana foi integrada também pelos deputados Julião Teixeira (MPLA) e Adalberto da Costa Júnior (UNITA) e participou igualmente no debate de outros temas, tais como: Integração e Cooperação Regionais; Agricultura e Segurança Alimentar na região, Aprovisionamento e Necessidades Energéticas e; Violência no Género.

O evento visou a concertação de ideias entre as diversas representações, que serão levadas à plenária da Assembleia parlamentar ACP/EU a realizar-se em Windhoek (Namíbia), em Junho próximo.

A Assembleia Paritária Parlamentar é uma organização composta por 78 representantes da União Europeia e o mesmo número de representantes dos Estados da África, Caraíbas e Pacifico (ACP) signatários do Acordo de Cotonou, e que se reúne regularmente com o objectivo de promover a interdependência Norte/Sul. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA