Activista angolano Nuno Dala em greve de fome há um mês

Activista angolano Nuno Dala (DR)

O estado de saúde do activista angolano Nuno Dala, um dos condenados pelo tribunal de Luanda no passado 28 de Março e em greve de fome há 29 dias, agrava-se dia após dia.

Nuno Dala está em greve de fome desde o passado dia 10 de Março em protesto contra o facto de as autoridades lhe terem confiscado os seus bens na detenção, entre eles Bilhete de Identidade, cartão bancário, computador, impressora, telefone, documentos e livros. Os documentos bancários são os mais preocupantes já que garantem sustentabilidade financeira da família.

Gertrudes Dala tem visitado regularmente o irmão ao Hospital Prisão de São Paulo e testemunha que a “cada dia que passa ele vai piorando”.

“Nós estamos a passar por necessidades em casa porque ele é nosso responsável, inclusive a filha dele de dez meses está doente e não há forma de resolver a questão de saúde por falta de meios financeiros”, afirma Gertrudes Dala.

Há um mês em greve de fome, Nuno Dala sobrevive a soro que tem que ser levado pela família. O estado físico do activista está cada vez mais debilitado, encontra-se há várias semanas em cadeira de rodas. A família está muito preocupada com a situação – “é uma vida que está em perigo”. O activista pediu assistência médica para lhe darem soro, que lhe foi negado pelo hospital-prisão em que se encontra.

A família do activista apela às autoridade prisionais, mas “não fazem absolutamente nada”, descreve Gertrudes Dala “já pedimos que fosse transferido da prisão de São Paulo para uma clínica para ser mais assistido porque a cada dia que passa ele está pior”.

Nuno Dala tem 31 anos foi condenado a uma pena de prisão de quatro anos e seis meses, com outros 16 activistas, pelos crimes de “actos preparatórios de rebelião e associação de malfeitores”. (RFI)

por Ligia Anjos

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA