Abertura dos mercados: Bolsas europeias e petróleo em alta. Euro em queda

(Bloomberg)

As principais praças europeias estão a negociar em terreno positivo. Os preços do petróleo estão subir impulsionados pela queda da produção nos Estados Unidos e o euro está a descer.

Os mercados em números

PSI-20 soma 1,16% para 4.816,87 pontos

Stoxx 600 avança 0,46% para 329,62 pontos

Nikkei valorizou 0,46% para 15.821,52 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos estão a descer 6 pontos base para 3,359%

Euro cede 0,24% para 1,1351 dólares

Petróleo em Londres valoriza 1,78% para 40,13 dólares o barril

Bolsas europeias no verde

As principais praças do Velho Continente estão a negociar em terreno positivo esta sexta-feira, 8 de Abril. O PSI-20 lidera os ganhos entre as principais congéneres europeias ao subir 1,16%. Na praça nacional, destaque para as acções do BCP, que sobem 2,56% para 3,21 cêntimos, e da Nos, que valorizam 1,34% para 5,914 euros. O principal índice italiano é a segunda praça que mais sobe, crescendo 1,29%. O Stoxx 600, índice europeu de referência, soma 0,46%.

Na Ásia, as principais praças japonesas encerram a última sessão da semana em alta. O Nikkei fechou a subir 0,46% e o Topix a crescer 1,18%. Este comportamento das acções nipónicas teve lugar numa sessão em que o iene, a moeda japonesa, esteve a desvalorizar e os títulos das empresas exportadoras estiveram em alta, escreve a Bloomberg. A queda da moeda local ocorreu depois do ministro das Finanças do Japão ter apontado que movimentos cambiais rápidos são indesejáveis e que acções, por parte das autoridades, vão ser tomadas no caso de serem necessárias.

Juros abaixo dos 3,5%

Os juros da dívida pública nacional estão a cair no mercado secundário. As taxas a dez anos, o prazo considerado de referência, estão a descer 6 pontos base para 3,359%. No caso da dívida alemã, também a dez anos, as yields estão a subir 0,6 pontos base para 0,095%. O prémio de risco da dívida nacional está a descer para os 324,6 pontos.

Na sessão desta quinta-feira, 7 de Abril, o prémio de risco da dívida disparou. Esta subida acentuada surge depois de Portugal ter pago mais para emitir dívida de longo prazo na quarta-feira. Já Mario Draghi, de visita a Portugal para participar no primeiro Conselho de Estados de Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou que acolhe “com agrado o compromisso das autoridades portuguesas em preparar medidas adicionais, destinadas a ser implementadas quando necessário” para garantir que Portugal não se deixa cair “numa violação grave”.

Euro em queda ligeira

A moeda da Zona Euro está a perder terreno, ainda que de forma ligeira, face à divisa norte-americana. Por esta altura, o euro cede 0,24% para 1,1351 dólares.

Na passada quarta-feira, 6 de Abril, foram divulgadas as minutas da Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed) sobre o encontro de meados de Março. Este documento indica que foi debatido um novo aumento dos juros já em Abril. Vários governadores opuseram-se, enquanto outros consideram “necessária” a subida dos juros.

Petróleo em alta com queda da produção

A cotação do petróleo está a subir nos mercados internacionais, impulsionada pela queda da produção norte-americana da matéria-prima. De acordo com os dados publicados na última quarta-feira pela Administração de Informação Energética dos Estados Unidos, a produção norte-americana de crude desceu em 14 mil barris por dia para uma produção total diária de 9,01 milhões de barris. Este comportamento tem lugar antes do encontro dos principais produtores mundiais de petróleo, que vai realizar-se em Doha a 17 de Abril. O West Texas Intermediate soma 2,36% para 38,14 dólares por barril. O Brent do Mar do Norte, que serve de referência para as importações nacionais, sobe 1,78% para 40,13 dólares por barril.

Ouro aproxima-se da melhor semana em mais de um mês

Os preços do ouro estão a aproximar-se do maior ganho semanal em mais de um mês, numa altura em que os investidores reduziram as expectativas em relação às subidas das taxas de juro por parte da Fed. No encontro de Março, de acordo com as minutas divulgadas esta quarta-feira, os governadores mostraram divergências sobre um aumento dos juros já este mês de Abril. O ouro para entrega imediata, ainda assim, está a ceder 0,40% para 1235,49 dólares por onça.

Destaques do dia

Novo Banco ainda tem que limpar 3.000 milhões de euros. Neste e no próximo ano, o banco acumulará perdas de 650 milhões. Nos três anos seguintes, o lucro total será de 834 milhões, prevê o plano.

FMI pode emprestar até quatro mil milhões de euros a Angola. Para ter acesso a mais dinheiro, Luanda teria de se candidatar a um “acesso excepcional”. O Governo angolano continua a defender que não se trata de um resgate, mas terá mesmo de implementar medidas exigidas pelo FMI.

Como Portugal pôs a DBRS nas bocas do mundo.Com o destino financeiro de Portugal nas mãos da DBRS, as atenções do mercado viram-se também para a actuação da agência, dando-lhe maior visibilidade. A entidade canadiana garante que não sente pressão por ter essa responsabilidade.

Ageas afasta liderança da Axa Portugal. Violeta Ciurel deixou de ser a presidente executiva da Axa no início de Abril. O novo presidente é Steven Braekeveldt, que é já o líder da Ageas em Portugal, sociedade que detém a Ocidental.

O que vai acontecer hoje

Revisão de “rating” em Espanha. A agência de notação financeira canadiana DBRS tem agendada uma possível revisão do “rating” espanhol.

Moody’s revê avaliação de Angola. Na semana em que Angola formalizou um pedido de ajuda internacional ao FMI, a Moody’s tem agendada uma possível revisão do “rating” do país.

Dados do emprego. O INE divulga o Índice de volume de negócios, emprego, remunerações e horas trabalhadas na indústria, relativo a Fevereiro.

Indicadores na Alemanha. É conhecida a balança comercial alemã, relativa a Fevereiro [anterior: 13,4 mil milhões de euros ; estimativa: 18,0 mil milhões]. (Jornal de Negocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA