Telescópio capta imagem de ‘versão infantil’ da Terra

(AFP)

O poderoso radiotelescópio Alma, no norte do Chile, captou com os maiores detalhes já vistos até agora o disco com formação de planetas ao redor da estrela de tipo solar TW Hydrae, o que pode significar o nascimento de uma versão infantil da Terra ou uma super-Terra com mais massa, informou nesta quinta-feira o observatório.

A nova imagem captada pelo ALMA “revela um espaço à mesma distância da estrela que a Terra em relação ao Sol, o que pode significar que está começando a nascer uma versão infantil de nosso planeta ou, possivelmente, uma super-Terra, com mais massa”, explicou em um comunicado.

A estrela TW Hydrae é muito estudada pelos astrónomos devido a sua proximidade com a Terra (175 anos-luz de distância) e sua condição de estrela infante. A partir da Terra, é possível ver a face desta estrela, o que oferece aos astrônomos uma vista pouco habitual e sem distorções dos discos protoplanetários que existem ao seu redor.

É o disco protoplanetário conhecido mais próximo da Terra e pode ser muito parecido com o Sistema Solar quando tinha apenas 10 milhões de anos.

“Estudos anteriores, realizados com telescópios ópticos e com radiotelescópios, confirmam que a TW Hydrae abriga um proeminente disco cujas características sugerem que há planetas começando a se formar”, afirma Sean Andrews, do Centro de Astrofísica Harvard-Smithsonian em Cambridge, Massachusetts (Estados Unidos), e principal autor de um artigo publicado na revista Astrophysical Journal Letters, citado no comunicado do ALMA.

As novas imagens do ALMA “mostram o disco com um detalhe sem precedentes, revelando uma série de anéis concêntricos de poeira brilhante e zonas escuras, com características interessantes que podem indicar que está sendo formado um planeta com uma órbita parecida com a da Terra”, acrescenta.

Estudando o disco da TW Hydrae, os astrónomos esperam entender melhor a evolução do planeta Terra e as perspectivas para sistemas similares da Via Láctea.

O Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA, em inglês) é formado por 66 antenas instaladas no Llano Chajnantor, no norte do Chile, a mais de 5.000 metros de altura.

O observatório é uma associação entre o Observatório Europeu Austral (ESO), a Fundação Nacional de Ciência dos Estados Unidos e os Institutos Nacionais de Ciências Naturais do Japão, em cooperação com a República do Chile. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA