Stones em concerto histórico acreditam que os “tempos” em Cuba são de mudança (vídeo)

(Reuters)

Houve quem esperasse 18 horas para entrar no recinto. Mas havia quem estivesse há espera desde momento há 50 anos. Os Rolling Stones foram a primeira banda rock internacional a fazer um concerto em Cuba desde a revolução.

Os números não se sabem ao certo. Dezenas de milhares é quanto os jornais internacionais dizem ter sido a assistência do histórico concerto da banda britânica Rolling Stones, em Havana, sexta-feira, 25 de Março. Segundo a BBC, as autoridades cubanas esperavam cerca de meio milhão de pessoas no concerto.

(DR)
(DR)

“Há 50 anos à vossa espera”. Era apenas um dos cartazes que se podia ver em Havana, segundo mostrou o LA Times. Houve quem esperasse 18 horas para entrar no recinto, conta a Reuters.

É o mesmo jornal que diz que há quem tenha comparado este concerto ao Woodstock, pelo simbolismo. Os Rolling Stones tornaram-se a primeira grande banda rock a actuar em Cuba, desde a revolução. O que aliás aconteceu poucos dias depois da visita oficial de três dias de Barack Obama à ilha, tornando-se no primeiro presidente dos Estados Unidos a fazê-lo nos últimos 88 anos.

O LA Times falou com Nilda Dominguez, 60 anos, que enquanto adolescente lutou para ter acesso à música dos Stones e de outras bandas, mas que o regime tinha banido. Por isso, garante, “hoje é o melhor”.

Mick Jagger, com um casaco cor-de-rosa brilhante, aludiu várias vezes, contam os jornais internacionais, ao significado histórico do concerto. “Sabemos que no passado não foi fácil ouvir a nossa música em Cuba”, declarou, em espanhol, acrescentando: “Penso que os tempos estão, finalmente, em mudança”.

O concerto grátis num espaço Ciudad Deportiva que leva 450 mil lugares começou com Jagger a cumprimentar “o meu povo de Cuba”. A banda tocou 18 canções num concerto de duas horas. Começaram com o “Jumpin’ Jack Flash,” uma música de 1968, quando o rock era “secreto” em Cuba.

Já depois do concerto, uma mensagem no Twitter dos Stones reconheceu o concerto como “incrível”, uma mensagem em inglês e em espanhol.

A banda – constituída em Londres em 1962, três anos depois de Fidel Castro ter, em revolução, mudado o regime cubano – diz que pode ter sido o seu maior concerto de sempre. (Jornal de Negocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA