Síria: governo rejeita discutir lugar de presidente Bashar al-Assad (vídeo)

(EURONEWS)

Na Síria, jornalistas ocidentais foram autorizados esta semana a visitar a localidade de Al-Shaddadi no norte do país.

A visita teve lugar após a expulsão dos extremistas do grupo Estado Islâmico que controlaram esta localidade durante dois anos.

Al-Shaddadi foi libertada a 22 de fevereiro pelo grupo Forças Democráticas Sírias, um grupo composto por rebeldes curdos e sírios.

Os jornalistas visitaram várias casas abandonadas, muitas delas transformadas em bunkers e com túneis para fuga.

Em alguns edifícios foram encontrados vários engenhos explosivos para além de armas pesadas.

Num desenvolvimento separado, o governo sírio afirma que um período de transição implicaria uma nova constituição e um novo governo.

Falando a partir de Dâmasco, o ministro dos Negócios Entrangeiros, Walid al-Moallem traçou um cenário possível.

“É nosso entender que um período de transição implicaria a adopção de uma nova constituição. O mesmo se aplica ao governo que poderá incluir outros partidos”, disse o alto funcionário sírio.

Al-Moallem adiantou que o regime está consciente de que um período de transição implicaria uma nova constituição e um novo governo.

O ministro rejeitou ainda a possibilidade de discutir a presidência do país durante as conversações em Genebra, previstas para segunda-feira.

Segundo al-Moallem, o lugar do presidente Bashar al-Assad não está em causa e como tal, não será debatido nas negociações. (EURONEWS)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA