Sector do turismo quer ser maior empregador no país

Representante da Associação de Hóteis e Ressorts, Alexandre Portugal (Foto: Joaquina Bento)

O presidente da Associação dos Hotéis e Resorts de Angola (AHRA), Alexandre Portugal, afirmou que o sector do turismo pretende ser o maior empregador em Angola, tendo em conta as suas potencialidades.

O gestor da AHRA, que falava à Angop à margem de uma sessão de reestruturação da Associação, referiu que em 2014 o sector criou cerca de cinco mil postos de trabalho no país e pretende aumentar nos próximos anos, porque é o sector que mais cresce.

Para Alexandre Portugal, o sector teve, há dez anos, a oportunidade de evoluir e criar pólos industriais que poderiam ser atractivos, o que não se fez, por essa razão, o contexto actual dificulta mais o desenvolvimento turístico, o que não quer dizer que não possa ser feito.

“ Para que nos próximos tempos a indústria hoteleira seja uma realidade estamos a juntar esforços no sentido de se criar alguns meios para o desenvolvimento da hotelaria no nosso país. Vamos precisar agora contactar os empresários e ser uma das maiores indústrias do país”, disse.

O interlocutor fez saber que não basta apenas criar hotéis e Resorts, é necessário haver um conjunto de medidas para poder atrair mais turistas para o nosso país, porque não é são só os hotéis que garantem o bem-estar dos turistas.

“ É necessário haver um sistema de saúde de qualidade, cidades limpas, internet 24 horas por dia, sistema de transportes em qualquer hora e principalmente uma polícia séria, porque o turista precisa sentir-se seguro no país onde está e, principalmente, querem sempre estar em conexão com o mundo”.

É necessário que estes sectores, prosseguiu, criem uma linha de força para podermos fazer crescer o turismo angolano, porque se repararmos bem podemos fazer crescer o nosso turismo, não em tão curto espaço de tempo porque precisa-se merecer a confiança dos turistas.

Para Alexandre Portugal, é necessário traçar politicas para atrair principalmente o sector privado para o turismo porque o turismo não depende apenas do sector público e porque Angola ainda não tem infra-estruturas para atrair turistas.

“ Somos um país com uma capacidade enorme para desenvolver o turismo, temos cerca de cinco mil pontos mas ainda não temos capacidade de desenvolver esses pólos turísticos e atrair turistas porque na realidade o turista tem exigências e não temos ainda capacidade de resposta para essas exigências”, acrescentou.

Aplicar os capitais próprios para desenvolver algumas áreas, sensibilizar o governo no sentido de que são necessárias traçar linhas de força para com os pequenos recursos, poder criar estruturas suficientemente atractivos para atrair turistas, são, entre outras, as estratégias para alavancar o turismo, indicou a fonte. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA