Salah Abdeslam já teve alta do hospital belga

Salah Abdeslam (TVI24)

O principal suspeito dos atentados de Paris, detido em Bruxelas esta sexta-feira, saiu hoje de manhã do hospital Saint-Pierre, segundo as autoridades locais. O destino do suspeito não foi revelado pelo presidente da câmara de Bruxelas, Yvan Mayeur, que divulgou a informação no Twitter.

O principal suspeito dos atentados de Paris detido em Bruxelas, Salah Abdeslam, saiu hoje de manhã do hospital Saint-Pierre, segundo as autoridades locais, que não adiantaram o seu destino.

Além de Salah Abdeslam, saiu também do hospital em Bruxelas um dos seus alegados cúmplices, depois de ambos terem recebido tratamento, após terem ficado ligeiramente feridos durante a detenção na sexta-feira pela polícia belga.

O destino dos dois homens não foi revelado pelo presidente da câmara de Bruxelas, Yvan Mayeur, que divulgou a informação da alta de Salah Abdeslam na sua conta na rede social Twitter.

Salah Abdeslam foi capturado esta sexta-feira, durante uma mega operação em Bruxelas de combate ao terrorismo e após quatro meses em fuga.

“Já o temos”, escreveu o secretário de Estado belga para as Migrações, Theo Francken, na rede social Twitter, ainda a polícia belga não tinha confirmado a detenção.

O suspeito em fuga dos atentados de Paris foi detido às 16:40 locais (menos uma hora em Portugal continental) e devido a ferimentos numa perna foi transportado para o hospital Saint-Pierre em Bruxelas, confirmou o Procurador Federal belga, na conferência de imprensa que se seguiu à conclusão da operação e já depois de umas primeiras palavras do primeiro-ministro Charles Michel e do Presidente francês François Hollande.

No total da operação, que foi dada como concluída às 20:30 locais, foram detidas cinco pessoas (e não três como diria antes o primeiro-ministro), três delas membros da mesma família que escondeu Salah Abdeslam, e ainda Amine Choukri, cúmplice de Abdeslam, que também estava na lista dos serviços secretos.

Além destas cinco detenções, a Procuradoria belga confirmou a existência de pelo menos um fugitivo, Mohamed Abrini, que foi filmado junto de Salah Abdeslam antes dos atentados numa estação de serviço nos arredores de Paris. (TVI24)

DEIXE UMA RESPOSTA