Salah Abdeslam já teve alta do hospital belga

Salah Abdeslam (TVI24)

O principal suspeito dos atentados de Paris, detido em Bruxelas esta sexta-feira, saiu hoje de manhã do hospital Saint-Pierre, segundo as autoridades locais. O destino do suspeito não foi revelado pelo presidente da câmara de Bruxelas, Yvan Mayeur, que divulgou a informação no Twitter.

O principal suspeito dos atentados de Paris detido em Bruxelas, Salah Abdeslam, saiu hoje de manhã do hospital Saint-Pierre, segundo as autoridades locais, que não adiantaram o seu destino.

Além de Salah Abdeslam, saiu também do hospital em Bruxelas um dos seus alegados cúmplices, depois de ambos terem recebido tratamento, após terem ficado ligeiramente feridos durante a detenção na sexta-feira pela polícia belga.

O destino dos dois homens não foi revelado pelo presidente da câmara de Bruxelas, Yvan Mayeur, que divulgou a informação da alta de Salah Abdeslam na sua conta na rede social Twitter.

Salah Abdeslam foi capturado esta sexta-feira, durante uma mega operação em Bruxelas de combate ao terrorismo e após quatro meses em fuga.

“Já o temos”, escreveu o secretário de Estado belga para as Migrações, Theo Francken, na rede social Twitter, ainda a polícia belga não tinha confirmado a detenção.

O suspeito em fuga dos atentados de Paris foi detido às 16:40 locais (menos uma hora em Portugal continental) e devido a ferimentos numa perna foi transportado para o hospital Saint-Pierre em Bruxelas, confirmou o Procurador Federal belga, na conferência de imprensa que se seguiu à conclusão da operação e já depois de umas primeiras palavras do primeiro-ministro Charles Michel e do Presidente francês François Hollande.

No total da operação, que foi dada como concluída às 20:30 locais, foram detidas cinco pessoas (e não três como diria antes o primeiro-ministro), três delas membros da mesma família que escondeu Salah Abdeslam, e ainda Amine Choukri, cúmplice de Abdeslam, que também estava na lista dos serviços secretos.

Além destas cinco detenções, a Procuradoria belga confirmou a existência de pelo menos um fugitivo, Mohamed Abrini, que foi filmado junto de Salah Abdeslam antes dos atentados numa estação de serviço nos arredores de Paris. (TVI24)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA