Profissionais de saúde angolanos mobilizam-se

(BSIP/UIG Getty Images)

Os profissionais de saúde dos centros hospitalares de Luanda estão a reunir esforços para se inverter o actual quadro sanitário que regista, sem precedentes, um aumento assustador do índice de doenças e mortes.

O governador provincial de Luanda, Higino Carneiro, lançou um apelo aos responsáveis de unidades hospitalares.

O apelo foi feito aquando da abertura de uma reunião com intuito de analisar o actual estado da saúde pública da província de Luanda, em virtude dos relatos sobre o aumento do número de pacientes e mortes, sobretudo, de crianças e adolescentes, nos hospitais do país.

A União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), o principal partido da oposição, exortou, em conferência de imprensa que o presidente angolano José Eduardo dos Santos a declarar “o estado de alerta máximo para Luanda” e de “calamidade nacional”, face “à crise que o sector da saúde atravessa”.

Nos últimos dias, dezenas de jovens têm lançado apelos para recolher material para socorrer as necessidades dos hospitais de Luanda, mas também para doar sangue.

A voluntária Luana Boavida, do grupo nadador solidário e amigos, descreve que “não temos seringas ou medicamentos no caso deste hospital Pediátrico (David Bernardino) às crianças – pode imaginas. Não há sangue nem nada, e há muitas mortes diárias”. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA