Presidente da República rende homenagem ao nacionalista Lúcio Lara

Presidente da República, José Eduardo dos Santos ,rende homenagem ao nacionalista angolano Lúcio Lara (Foto: Pedro Parente)

O Presidente da República, José Eduardo dos Santos, rendeu hoje, em Luanda, homenagem ao nacionalista angolano, Lúcio Rodrigo Leite Barreto de Lara, falecido sábado último, na Clínica Girassol, vítima de doença.

Depois da entoação do Hino Nacional, o Chefe de Estado angolano posicionou-se diante da urna, gesto que simbolizou a última homenagem a Lúcio Lara, tendo depois saudado os familiares do falecido.

Nas antigas instalações da Assembleia Nacional, local do velório, renderam igualmente homenagem titulares dos órgãos de soberania, membros do Bureau Político e do Comité Central do MPLA.

Homenagearam também o falecido, destacado militante do MPLA, entre outras figuras, representantes dos órgãos de defesa, segurança e ordem pública, entidades eclesiásticas, militantes de partidos políticos, do corpo diplomático e de organizações sociais do partido e da sociedade civil.

Urna contendo os restos mortais de Lúcio Lara (Foto: Pedro Parente)
Urna contendo os restos mortais de Lúcio Lara (Foto: Pedro Parente)

A urna partirá para o cemitério quando forem 14:30 onde haverá um momento de exaltação da família, mensagens da associação Tchiweka e dos antigos combatentes, leitura do elogio fúnebre.

Lúcio Rodrigo Leite Barreto de Lara, também conhecido por TchiweKa, casado, filho de Lúcio Gouveia Barreto de Lara e de Clementina Leite de Lara, nasceu aos 9 de Abril de 1929, no Município da Caala, Província do Huambo.

Fez os estudos primários e secundários no Lubango, capital da província da Huila, e a licenciatura, em ciências Físico-Químicas, na universitário de Coimbra, Portugal.

Em 1951 prestou serviço militar em Portugal, não concluindo por doença.

Em 1959, foi professor secundário em Portugal e na Guiné-Conacry nas disciplinas de matemática, física e química.

Participou em actividades patrióticas a partir de 1949, enquadrado na antiga “Casa dos Estudantes do Império”, de que foi membro em Coimbra, sob a presidência do fundador da nação angolana, António Agostinho Neto, com quem também formou o primeiro núcleo clandestino, antes da fundação do MPLA.

Foi co-fundador do Club Marítimo Africano, conjuntamente com Agostinho Neto, Humberto Machado, Zito Van Dúnem e outros patriotas angolanos e de outras colónias portuguesas.

Co-fundador do Movimento Anti-Colonialista (MAC), precursor do MPLA que agrupou patriotas de todas as colónias portuguesas de então, nomeadamente Agostinho Neto, Amílcar Cabral, Noémia de Sousa, Mário Pinto de Andrade.

Co-fundador do MPLA, em 1956, realizou várias missões no sentido de coordenar as actividades em Angola, Portugal e França.

Procurado pela PIDE, foge de Portugal em Março de 1959, passando sucessivamente pela então Republicas Federal Alemã (RFA) e Democrática Alemã (RDA), aguardando possibilidade de se instalar em Accra, mantendo aí contactos com o Centro de Libertação Africano.

Lúcio Lara participou no 2º Congresso dos Escritores e Artistas Negros, em Abril de 1959 em Roma, estabelecendo contactos com o FNL argelino, através de Franz Fanon, com quem planifica a preparação do primeiro grupo de guerrilha angolano.

Em Janeiro de 1960, chefia a delegação do MAC à Conferencia Panafricana de Túnis, onde consegue autorização para o MPLA e o PAIGC instalarem os primeiros escritórios no exterior, na Guiné – Conakry, para onde segue depois de uma passagem por Casablanca, a convite de Mahjoub Seddick, Líder da União Marroquina do Trabalho,

Integra em Conacry o primeiro Comité Director do MPLA, em 1960, como responsável da Organização e Quadros.

Em Conacry Accra, Rabat e Alger participa em diferentes em actividades relacionadas com a luta de libertação, tendo sido enviado a Brazzaville para contactos com Manuel Pedro Pacavira, enviado do Presidente Neto, em Maio de 1960.

Participou na Iª Guerra de Libertação, em Cabinda e Cuango (3ª Região), na Luta Clandestina, em Lisboa, em 1954, e 1958, frequentou um estágio militar especial, em Moscovo.

Director até entrar no 1º Comité Central e 1º Bureau Político; Foi Deputado a Assembleia do Povo; Deputado a Assembleia Nacional.

Participou em todos os Congressos do MPLA e na Conferência Nacional do MPLA em Leopoldville, República Democrática do Congo (RDC), em 1962.

Em 2006 foi homenageado pela família MPLA.

Foi membro do Comité Central e do Bureau Político do MPLA e Deputado das Assembleias do Povo e Nacional. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA