Precisa-se exorcistas: México sacudido por onda de assassinatos ligados ao satanismo

(flickr.com/dinoboy)

O México enfrenta neste momento uma onda de assassinatos rituais satânicos, ao mesmo tempo que exorcistas dizem haver uma demanda sem precedentes dos seus serviços.

O padre José Antonio Fortea, principal exorcista mexicano, advertiu sobre o crescimento de assassinatos rituais secretos.

Ele disse que o “culto do Diabo“ tem origem no assim chamado culto da Santa Muerte (Santa Morte, em espanhol), descrita em forma de corpo humano descarnado e vestido como uma noiva.

Este culto vem dos dias quando ser sacrificado aos deuses dos astecas era uma honra, ou seja é um culto de origem pagão, pré-colombiana.

“A moda dos vampiros é algo muito próximo do satanismo”, disse o padre Fortea.

Edwin Juárez Palma, funcionário de um restaurante, de 24 anos, foi agredido, asfixiado e depois degolado com uma garrafa partida por adeptos de um culto do vampirismo durante uma cerimónia destinada a “transformá-lo em um vampiro”, escreveu o tablóide britânico The Sun.

A Polícia informou que o jovem foi morto depois de ser convencido a participar de uma cerimónia de iniciação para tornar-se parte de um culto satânico chamado Filhos do Bafomete 1.

Em vez disso, ele foi torturado com as mãos atadas atrás das costas, depois de um dos supostos assassinos persuadir os outros de que a sua vítima devia ser sacrificada para poder regressar à vida como vampiro. Dois homens e uma mulher, detidos mais tarde em conexão a este crime, confessaram que fazem parte do culto Filhos do Bafomete 1.

O chefe da Polícia Pablo Rocha comentou a situação:

“O crime ocorreu durante a cerimónia de iniciação dirigida por uma seita satânica chamada Filhos do Bafomete 1, durante a qual a vítima devia transformar-se em vampiro”.

Os cartéis mexicanos de drogas apelam supostamente à Santa Muerte para protecção da polícia e da morte. Eles pedem à figura em forma de esqueleto para proteger os seus fornecimentos de drogas e oferecem sacrifícios humanos.

O padre Fortea relacionou a subida dos cultos satânicos com o secularismo.

“Quanto mais a sociedade abandona o caminho de Deus, mais são os casos de satanismo. Quanto mais cristã é uma nação, menores são os casos de culto do Diabo”, opina o padre. (SPUTNIK)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA