CMVM suspende acções do BPI

(Miguel Baltazar/Negócios)

As acções do BPI foram suspensas de negociação pela CMVM, que aguarda informações sobre a instituição.

A CMVM determinou a suspensão das negociações das acções do BPI até que o banco preste informações ao mercado.

“O conselho de administração da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) deliberou a suspensão da negociação das ações do Banco BPI até à divulgação de informação relevante sobre o emitente”, lê-se no comunicado da CMVM ao mercado.

Desde a semana passada que se noticiou que Isabel dos Santos e CaixaBank, os dois principais accionistas do BPI, tinham chegado a acordo para resolver a situação de Angola, onde o BPI detém uma participação no BFA, mas no qual está obrigado a diminuir a sua exposição, para cumprir com determinações do BCE.

No fim-de-semana, o Expresso noticiou que o acordo iria no sentido de Isabel dos Santos sair do BPI, ficar com o BFA e entrar no BCP. A saída de Isabel dos Santos do BPI, aliás, fez aumentar as vozes sobre a espanholização da banca nacional, que já deu, inclusive, lugar a um manifesto.

Esta terça-feira, 22 de Março, a CMVM resolveu suspender as negociações do BPI, depois da cotação ter subido 2,87% na sessão de segunda-feira para 1,325 euros. Esta terça-feira nem chegaram a negociar. Na segunda-feira chegaram a tocar em máximos de Junho de 2015.

Esta terça-feira o Negócios avança que a entrada de Isabel dos Santos no BCP é uma das opções em cima da mesa, tal como já terá sido conversado com o primeiro-ministro António Costa. No fim-de-semana o Expresso noticiou que o primeiro-ministro se reuniu com a empresária angolana e que intermediou um conflito entre os accionistas. António Costa assumiu que está no Governo para enfrentar de frente os problemas e resolvê-los, tendo exemplificado com o caso do BPI. Paralelamente, o Negócios avança que a Santoro vai sair do BPI, ao fim de sete anos. (Jornal de Negocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA