PAICV contesta composição das mesas de voto na Praia e UCID contesta as de São Vicente

Baia do Porto Grande, São Vicente, Cabo Verde (RFI/Odair Santos)

Quando faltam apenas 4 dias para as eleições legislativas, estão a ultimar-se os preparativos do escrutínio, preparativos marcados por algum descontentamento por parte do PAICV no poder mas igualmente da UCID, terceira força política de Cabo Verde, havendo reclamações sobre a actuação da CNE.

A candidatura do PAICV considera que a Comissão Nacional de Eleições cometeu graves irregularidades na composição das mesas de voto no concelho da Praia. O partido no poder considera que a CNE violou uma disposição do Código Eleitoral estipulando que “todas as mesas de voto devem ser constituídas de forma a garantir igualdade de oportunidade de participação de todos os partidos e pluralismo na composição das mesas voto”. Por seu lado a UCID não está satisfeita com a forma como a Comissão Nacional de Eleições elaborou as listas da composição das mesas de voto na ilha de São Vicente. Mais pormenores com Odair Santos.

Nestas eleições legislativas a UCID concorre pela primeira vez em todos os círculos eleitorais. O líder da terceira força política, António Monteiro, tem feito uma campanha de proximidade e acredita que pode ganhar no dia 20. No seu programa eleitoral, a UCID defende que o voto do emigrante tenha o mesmo peso que o voto do cidadão cabo-verdiano residente no país e pretende também que se criem condições para a diáspora investir preferencialmente no seu país de origem.

No mesmo sentido, o MPD, principal partido de oposição, também preconiza incentivos para os emigrantes cabo verdianos apostarem na economia do seu país e pretende igualmente implementar medidas que facilitem o acesso à cidadania cabo verdiana para os descendentes de emigrantes, conforme disse à RFI Alberto Montrond, líder deste partido nos Estados Unidos e candidato da diáspora às legislativas. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA