Nicolau Breyner: cerimónias fúnebres na Basílica da Estrela a partir das 19:00

(TVI24)

Funeral realiza-se na quarta-feira, a partir das 15:00. Corpo do ator será cremado.

As cerimónias fúnebres de Nicolau Breyner realizam-se esta terça-feira à tarde, a partir das 19:00, na Basílica da Estrela, em Lisboa. Está marcada uma missa para as 20:00 no local.

O funeral realiza-se na quarta-feira, a partir das 15:00, com uma missa na Basílica, seguindo depois para o cemitério do Alto de São João, onde o corpo será cremado.

Nicolau Breyner foi encontrado já sem vida, na sua casa. A autópsia foi realizada esta terça-feira de manhã.

Foram muitos os atores, apresentadores e amigos que lamentaram a morte de Nicolau Breyner e deixaram mensagens de pesar.
Nicolau Breyner tinha 75 anos de vida e mais de 50 de carreira

Nicolau Breyner morreu aos 75 anos e deixa um espólio enorme de trabalhos na televisão e no cinema, resultado de mais de 50 anos de carreira.

O ator deixou uma marca nos palcos e na televisão portuguesa, sobretudo através de comédias e de telenovelas como “Vila Faia” e “Cinzas”, entre outras. Ficou também conhecido do grande público em programas de televisão como “Eu Show Nico” e “Nicolau no país das maravilhas”, no qual criou o ‘sketch’ “Senhor feliz e senhor contente”, com Herman José.

A nova novela da TVI, ainda em filmagens, “A Impostora”, foi o seu último trabalho, já em 2016. O primeiro chegou muitas décadas antes, quando tinha cerca de 20 anos, a estreia no Teatro da Trindade. Tudo o que fica pelo meio é uma lista qua parece não ter fim. “Jardins Proibidos”, “Meu Amor”, “Remédio Santo”, são algumas das últimas novelas da TVI em que participou. No cinema assinou, em 2014, a “Teia do Gelo”. “A Bela e o Paparazzo” ou “Call Girl”, são só alguns dos últimos trabalhos, de uma participação na sétima arte que recua até 1961.

Trabalhou até ao fim. Não parou nem quando foi surpreendido por um cancro na próstata, que superou.

No final de 2015, numa, entrevista na TVI, a Judite de Sousa, Nicolau Breyner confessou:

Quando se chega à minha idade tem-se saudade inclusive das coisas más. Não é só das boas. Porque, no fundo, temos saudades de nós próprios.”

Nicolau Breyner desejava ver no seu Alentejo natal a criação de uma estrutura profissional de captação de produções de cinema para a região, que nunca foi completamente concretizada. Fundou uma escola de atores, a NBAcademia.

Ator e produtor foi distinguido, em 2005, com a Ordem de Mérito.

A Câmara de Serpa, no Alentejo, terra natal de Nicolau Breyner, já anunciou que vai atribuir o nome do ator ao cineteatro da cidade, após as obras de requalificação do edifício. (TVI24)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA