MpD vence eleições em Cabo Verde com maioria absoluta

"Esta é uma vitória para começar um novo ciclo", sublinhou o presidente do MpD (centro) (DW)

Depois de 15 anos na oposição, o Movimento para a Democracia (MpD) derrota o PAICV e volta ao poder. Ulisses Correia e Silva, futuro primeiro-ministro, promete começar a trabalhar imediatamente pelo crescimento do país.

O MpD venceu com maioria absoluta as eleições legislativas de domingo (20.03), pondo fim a 15 anos de governação do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV).

O partido liderado por Ulisses Correia e Silva contava com 53,7% dos votos, quando estavam apuradas 94,4% das 1241 mesas. O PAICV obteve 37,1%, enquanto a União Cabo-Verdiana Independente e Democrática (UCID) era a terceira força mais votada com 7%. O MpD conseguiu eleger 37 deputados, o PAICV 26 e a UCID três. Faltam ainda apurar os resultados da eleição na diáspora, que elege seis dos 72 parlamentares.

As restantes forças políticas – Partido Popular (PP), Partido do Trabalho e da Solidariedade (PTS) e Partido Social Democrático (PSD) – todas juntas não atingiram 1%. A abstenção registada, uma das mais elevadas de sempre em Cabo Verde, situou-se nos 33,6%. Foram chamados às urnas mais de 350 mil eleitores.

“Começar a trabalhar imediatamente”

“A minha primeira tarefa será pôr de pé um programa de emergência para podermos dar respostas concretas aos problemas que os cabo-verdianos sofrem neste momento”, disse Ulisses Correia e Silva durante o discurso de vitória, na sede nacional do MpD, na Cidade da Praia.

O futuro primeiro-ministro, que estabeleceu como meta de crescimento da economia os 7% ao ano, reforçou os compromissos que assumiu durante as duas semanas de campanha eleitoral.

“Precisamos de um país com maior crescimento económico”, sublinhou, acrescentando que é necessário “resolver rapidamente” os constrangimentos ao desenvolvimento económico e o problema do desemprego, sem esquecer a redução da pobreza.

Ladeado pelos seus vice-presidentes e diretor de campanha, o presidente do MpD dedicou a vitória a “todos os cabo-verdianos no país e na diáspora”. Saudou também todos os adversários que concorreram e “fizeram a democracia funcionar”.

Ulisses Correia e Silva foi presidente da Câmara Municipal da Cidade da Praia, entre 2008 e 2015, deixando agora a maior autarquia do país para chefiar o Governo cabo-verdiano.

PAICV e UCID reconhecem derrota

Depois de ter felicitado os líderes do MpD e da UCID, a presidente do PAICV, Janira Hopffer Almada, assumiu a derrota do seu partido, depois de 15 anos no poder. “O PAICV perdeu as eleições e eu, enquanto líder do partido, assumo todas as responsabilidades dessa derrota”.

A partir desta segunda-feira (21.03), Janira Hopffer Almada promete começar “a preparar o partido para os novos embates”, já a pensar nas eleições autárquicas que deverão acontecer no verão. Será também convocado o Conselho Nacional do PAICV para analisar os resultados das eleições de domingo.

A UCID, a terceira força política, tinha traçado como grande meta para estas eleições acabar com a bipolarização política. Por isso, António Monteiro, líder da UCID, considera que o resultado defraudou as expectativas do partido.

“Mais uma vez, não conseguimos evitar as maiorias absolutas e romper com a bipolarização em Cabo Verde. É nosso entendimento que funcionou a lógica do voto útil”, disse António Monteiro. “Os eleitores, com medo de terem o PAICV mais uma vez no poder, resolveram, de uma maneira forte, votar no MpD”, concluiu. (DW)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA