Moçambique: Renamo coloca condições ao diálogo

António Muchanga, porta-voz da Renamo (Cristiana Soares)

Três dias depois do presidente moçambicano ter novamente proposto o diálogo ao líder da Renamo, o principal partido de oposição apresentou condições para o reatar das conversações.

Três dias depois da formaliza­ção do convite pelo chefe-de-Es­tado, a Renamo submeteu ontem a resposta onde apresenta as con­dições que, no seu ponto de vista, irão assegurar um diálogo mais aberto, franco e com resultados concretos.

O líder da Renamo concorda com o reatamento do diálogo mas salienta que, “como forma de evitar os acontecimentos do pas­sado”, é fundamental a presença de mediadores.

“A Renamo propõe que o Go­verno aceite publicamente a cre­denciação destes mediadores, como forma de mostrar ao povo moçambicano e ao mundo em ge­ral o seu compromisso com a paz e reconciliação nacional”, refere a carta assinada pelo chefe de gabi­nete de Dhlakama.

A Renamo veio hoje também dizer que desconhece a autoria dos sucessivos ataques armados nas estradas do centro de Moçambique, no dia em que denunciou o assassínio e as detenções dos seus membros.

Noutro quadrante, e de acordo com fontes governamentais, começaram a regressar timidamente a casa os moçambicanos que tinham fugido das violências rumo ao Malawi. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA