Mais de 80 efectivos reforçam Serviços de Investigação Criminal

Entrega de diplomas a aluna destacada no Curso de investigacão criminal (Foto: Lucas Neto)

Oitenta e três efectivos dos Serviços de Investigação Criminal (SIC) do Ministério do Interior concluíram hoje, quarta-feira, o 25º curso de técnicas e tácticas de investigação criminal, em acto orientado pelo director-geral-adjunto do SIC, comissário Manuel Cardoso.

A acção formativa, com duração de três meses, contou com a participação de dois oficiais subalternos e 81 agentes, sendo 28 do sexo feminino e 55 do masculino.

O curso visou potenciar os formandos com conhecimentos técnicos e métodos em termos de busca de informação sobre a criminalidade, seu processamento, análise, investigação e concomitantemente a tomada de medidas tendentes à sua prevenção ou esclarecimento.

Teve ainda como objectivo, capacitar os formandos quanto ao culto de doutrina castrense, relativamente ao dever de obediência ao superior hierárquico, bem como a consolidação do espírito de camaradagem, de corpo e de missão.

No curso foram ministradas 16 disciplinas com destaque para introdução ao estudo do direito, técnica e táctica de investigação criminal, criminalística, noções de direito penal, técnica de expediente, trabalho operativo secreto, direito das obrigações, crime organizado, direito processual penal e psicologia da personalidade.

Ao intervir no acto, o director-geral-adjunto do SIC, comissário Manuel Cardoso, apelou aos recém-formados a primarem pela disciplina, afirmando que só respeitando este pressuposto se pode alcançar altos patamares.

Instou, por outro lado, a se engajarem na busca constante de conhecimentos profissionais e académicos, assim como a porem em prática todos os conhecimentos adquiridos durante a acção formativa.

“Aproveito a oportunidade para exortar a todos os formandos a buscarem constantemente conhecimentos e a adaptarem-se à realidade, pois o êxito de investigação depende muito da capacidade do investigador”, sublinhou.

Disse que os ora formados entram para os SIC numa altura em que duas direcções (Direcção Nacional de Investigação Criminal e a Polícia Económica) se fundiram em uma única o que implica uma acção mais coerente e disciplinada.

Os 83 efectivos dos Serviços de Investigação Criminal serão todos colocado em Luanda. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA