Lula e Dilma criticam autoridades judiciais (vídeo)

(EURONEWS)

Após o interrogatório sobre alegada corrupção no caso “lava-jato”, o antigo presidente do Brasil, Lula da Silva, diz ter-se sentido um prisioneiro e jurou lutar contra os que pretendem destruí-lo e ao Partido dos Trabalhadores.

Lula e a presidente Dilma Rousseff criticaram as ações do ministério público.

“Então era só ter comunicado que nós iríamos lá, mas eles preferiram utilizar a prepotência, a arrogância, o show e o espetáculo de pirotecnia”, declarou Lula da Silva.

“Quero manifestar o meu mais absoluto inconformismo com o facto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja agora submetido a uma desnecessária condução coercitiva para prestar mais um outro depoimento”, declarou Dilma Rousseff.

A Procuradoria Federal não tem dúvidas de que existem fortes indícios de que Lula foi um dos principais beneficiários do escândalo de corrupção que envolve a Petrobras.

“Hoje nós estamos a analisar evidências de que o ex-presidente e a sua família receberam vantagens para, eventualmente, a consecução de atos dentro do governo”, explicou Carlos Fernando dos Santos Lima.

Em frente à casa de Lula, em São Paulo, apoiantes do antigo líder brasileiro entraram em confronto com opositores. A polícia foi obrigada a intervir. (EURONEWS)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA