Lourdes Van-Dúnem: Eterna saudade da voz de ouro de Angola

Lourdes Van-Dúnem (Foto: D.R.)

MARIA DE LOURDES PEREIRA DOS SANTOS VAN-DÚNEM, de nome artístico, Lourdes Van-Dunem, ou Tia Lourdes como era conhecida em Angola, canta com os célebre N’Gola Ritmos para a RTP em 1964.
Esta é uma actuação histórica do grupo fundado por “Liceu” Vieira Dias, que viria a sofrer uma enorme repressão, terminando na prisão de dois dos seus fundadores (Amadeu e Liceu).

(VIDEO)
Por esta altura quem assegurava o grupo eram o Nino, Fontinhas, Xôdo, Zé Cordeiro, Lourdes e Gégé.
Uma pérola a recordar.
2006 – UM ANO DE DOR PARA A MÚSICA ANGOLANA
A Panapress noticiava assim:
Luanda Angola (PANA) -. A veterana cantora Lourdes Van-Dúnem, uma das precursoras da música angolana, morreu quarta-feira, aos 71 anos, de febre tifóide numa clínica em Luanda, revelou um membro da família.
Nascida em 1935 em Luanda Maria de Lourdes Pereira dos Santos Van-Dúnem iniciou a carreira  musical nos anos 60, com o Conjunto “Ngola Ritmos” , ao lado de Liceu Vieira Dias, seu primo, José de Fontes Pereira (Fontinhas), Amadeu Amorim e Belita Palma, considerados precursores da música e angolana e artistas da luta anti-colonialista.
Com os Ngola Ritmos, a cantora efectuou várias digressões por Angola e Portugal e gravou o seu primeiro disco, “Monami”, antes de trabalhar.  Posteriormente com o  agrupamento musical os “Jovens do Prenda”, viria a gravar vários singles, com músicas de sucesso.
Durante a sua carreira artística, Lourdes Van-Dúnem viajou ao Brasil,  África do Sul,  Argélia,  França,  Espanha e Zimbabwe.
A cantora, que também era florista, gravou em Portugal, pela editora NOVÁFRICA Audiovisual, em 1996 o seu primeiro compact disc “Ser Mulher”.

Participou igualmente no projecto “So Why?” do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV senegalês) ao lado de Youssou N’Dour, do congolês Papa Wemba, do nigeriano Lagbaja, do sul africano Lucky Dube e Jabu Khanyile.
A campanha do CICV  incluiu a gravação de um CD, videoclips, documentário e publicação de um livro. Teve como principal objectivo promover o respeito pelas vítimas  da guerra e da política de violência. Lourdes Van-Dúnem deixou uma filha.
04 de janeiro de 2006 13:16:00. (panapress)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA