Liga Portuguesa, J24: Sporting deixa Guimarães de mãos a abanar e tem Benfica a morder os calcanhares

(EURONEWS)

Sporting escorrega em Guimarães a menos de uma semana do dérbi frente ao Benfica. Os encarnados receberam e venceram o União da Madeira e irão chegar a Alvalade a apenas um ponto da liderança. Porto vence em Belém e aproxima-se do topo.

A dez jornadas do fim a Liga Portuguesa está ao rubro, com quatro pontos a separar os três primeiros classificados, os suspeitos do costume. O Sporting não foi além de um nulo em Guimarães, continua só na liderança mas viu Benfica e Porto aproximarem-se.

O discurso leonino era claro, a prioridade era o campeonato e como tal a eliminação na Liga Europa estava longe de ser uma dor de cabeça. O importante era ganhar em Guimarães, mas no Estádio D. Afonso Henriques mora uma equipa que não conhece o sabor da derrota desde o dia 2 de janeiro.

A equipa de Sérgio Conceição prolongou a série com um empate a zero que teve em Miguel Silva o principal responsável. O guarda-redes de 20 anos foi o melhor jogador em campo.

Não se pode dizer que o Sporting tenha sido afetado pela ressaca europeia. O conjunto leonino esteve sempre por cima no encontro e nem sequer sentiu grandes dificuldades para criar ocasiões de golo. Pecou, e muito, na finalização.

Slimani pareceu mais preocupado em não ver o cartão amarelo, que o impediria de defrontar o Benfica, do que em encontrar o caminho do golo. Acabou por ser substituído por Barcos numa altura em que o Vitória até estava reduzido a dez, devido à expulsão de Josué. Jorge Jesus não arriscou, também não petiscou.

Bem diferente do goleador de serviço nos rivais da Luz. Jonas marcou os dois golos do Benfica na vitória por 2-0 frente ao União da Madeira e isolou-se no comando da Bota de Ouro europeia. O brasileiro tem agora 26 golos apontados e dois pontos de vantagem sobre Gonzalo Higuaín e Luis Suárez.

Rui Vitória deixou Renato Sanches no banco (o médio português falharia o dérbi em caso de cartão amarelo) e se é verdade que Talisca esteve a anos-luz do rendimento do jovem português, não é menos verdade que o rendimento da equipa foi mais que suficiente para garantir uma vitória folgada. Raúl Gudiño, guarda-redes emprestado pelo Porto, evitou uma derrota mais pesada para os madeirenses.

Já o Porto continua longe de encantar mas não desarma na luta pelo título. A equipa de José Peseiro conquistou os três pontos no Restelo e somou o terceiro triunfo consecutivo na Grande Lisboa (Estoril, Benfica e Belenenses).

A vitória foi construída nos primeiros vinte minutos. Brahimi abriu o ativo aos nove, Tonel voltou a ser infeliz num jogo grande e marcou o segundo dos dragões na própria baliza. Estavam decorridos 18 minutos de jogo e o vencedor estava encontrado. O Belenenses ainda conseguiu apontar o tento de honra, por intermédio de Juanto, mas foi incapaz de mudar o rumo dos acontecimentos.

Na luta pela Europa, o duelo entre Arouca e Sp. Braga prometia muito mas não deixou saudades. As duas equipas não foram além de um empate a zero. Aproveitou o Rio Ave para subir à quinta posição com uma vitória no Bessa por 2-1. Hélder Postiga, que não marcava no campeonato desde fevereiro de 2011 estreou-se a marcar pelos vilacondenses e já sonha com o regresso à seleção.

Quem voltou a marcar passo foi o Paços de Ferreira, que foi derrotado por 3-0 na Choupana e somou o sétimo encontro consecutivo sem vencer. A equipa de Jorge Simão é oitava classificada, a cinco pontos do Rio Ave.

Na Amoreira, o Estoril derrotou o Vitória de Setúbal com um hat-trick do inevitável Bonatini, que ainda se deu ao luxo de falhar um penálti. Os canarinhos chegaram aos trinta pontos, já os sadinos continuam em crise e têm apenas uma vitória nos últimos dez encontros.

Também em crise está a Académica, derrotada na Madeira pelo Marítimo pela margem mínima. Já o Tondela, foi a Moreira de Cónegos festejar a terceira vitória na Liga Portuguesa mas mantém a lanterna vermelha, a oito pontos da linha de água. (EURONEWS)

por Bruno Sousa

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA