Kremlin explica objectivo das tropas russas que permanecem na Síria

(Sputnik/ Anton Denisov)

A base aérea de Hmeymim e o posto de abastecimento de Tartus permanecem em funcionamento, a sua segurança está sendo garantida, declarou o porta-voz do presidente Dmitry Peskov comentando as mensagens na média sobre o alegado reposicionamento de material bélico russo na Síria.

Peskov sublinhou que a decisão sobre a retirada do grupo militar russo da Síria foi tomada, mas lembrou que, de acordo com a decisão do líder russo Vladimir Putin sobre a retirada do contingente, os postos de baseamento temporário em Hmeymim e Tartus continuarão em funcionamento.

Desta forma, segundo o porta-voz do Kremlin, é melhor endereçar tais perguntas ao Ministério da Defesa da Rússia.

O presidente russo, Vladimir Putin, ordenou em 14 de Março a retirada parcial das forças russas da República Árabe da Síria. A presença militar de Moscovo começou em 30 de Setembro de 2015, quando o parlamento russo aprovou o envio de um grupo da Força Aeroespacial, após um pedido de Bashar Assad. O governo de Damasco pediu a ajuda russa no combate aos grupos terroristas Daesh e Frente al-Nusra.

Explicando a retirada, Putin ressaltou que, segundo ele, a missão russa está “praticamente cumprida”. (SPUTNIK)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA