Justiça argentina rejeita nova acusação contra Kirchner por pacto com Irão

(DR)

A Justiça argentina voltou a rejeitar, nesta quinta-feira, a acusação do falecido promotor Alberto Nisman contra a ex-presidente Cristina Kirchner por suspeita de acobertar iranianos acusados do atentado contra o centro judaico Amia, em 1994 – informou uma fonte judicial.

Quatro dias antes de aparecer morto, em Janeiro de 2015, no banheiro de seu apartamento, Nisman acusou Cristina Kirchner (2007-2015) de ajudar ex-governantes do Irão, entre eles o ex-presidente Ali Rafsanjani.

O juiz Daniel Rafecas rejeitou, pela primeira vez, em 2015, a acusação de que Cristina teria protegido iranianos por terem firmado, em 2013, um pacto com Teerão para criar uma comissão internacional de juristas que investigasse o caso.

“O caso está encerrado e arquivado”, respondeu Rafecas a um pedido de reabertura por parte do promotor Gerardo Pollicita.

Rafecas determinou que há “inexistência de delito” na acusação de firmar o acordo após a aprovação dada pelo Congresso argentino, em 2013, mesmo sem a reciprocidade de Teerão. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA