Huíla: Acção inspectiva desencoraja especulação de preços no Lubango

Estabelecimento comercial (Foto: Eliseu Veloso)

Cinquenta e sete estabelecimentos grossistas do município do Lubango, Huíla, foram inspeccionados por equipas de técnicos das direcções provinciais do Comércio e dos Serviços de Investigação Criminal, com vista a desencorajar a especulação de preços dos produtos da cesta básica.

A informação foi hoje prestada à Angop, pelo chefe do Departamento de Inspecção do Comércio, Hotelaria e Turismo, Evaristo Java, que indicou os armazéns dos bairros Bula Matadi, Valódia, Mutundo, Doutor Agostinho Neto, João de Almeida e Comercial, como os visados.

“Continuamos a registar uma descida ligeira dos preços a nível do sector grossista. Por isso, vamos manter o trabalho inspectivo até que a situação dos preços volte ao normal”, realçou.

Disse não existirem casos de especulação até ao momento, como resultado das acções de fiscalização, tendo lembrado que caso aconteçam os infractores serão responsabilizados.

Apelou, por esta razão, os agentes comerciais grossistas e retalhistas para cumprirem com o estabelecido na lei, para evitarem o sancionamento com estas e outras medidas.

Estão constituídas cinco brigadas que até final deste mês farão o trabalho de inspecção.

O município do Lubango possui 307 estabelecimentos comerciais, sendo 67 grossistas, 154 retalhistas de grande e pequena dimensão, 84 de prestação de serviços mercantis e dois supermercados, que servem 731 mil e 380 habitantes. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA