Guiné Bissau sob escrutínio internacional

José Mário Vaz, Presidente da Guiné Bissau (RFI)

A longa crise que afecta a Guiné Bissau começa a inquietar fortemente a comunidade internacional e em particular as organizações continentais e regionais como a União Africana, a CEDEAO( Comunidade Económica para o Desenvolvimento dos Estados da África Ocidental) e a UEMOA.

Preocupada com a situação de crise política duradoura na Guiné Bissau, a Comunidade Internacional multiplica os contactos visando um desfecho para a mesma, que tem provocado a estagnação do progresso económico do país da África Ocidental. A UEMOA(União Económica e Monetária da África Ocidental) à semelhança do Conselho de Segurança da ONU,da União Africana e da CEDEAO enviou uma delegação à Bissau com o objectivo de se inteirar sobre a situação no país.

Marou Amadou , emissário especial do Chefe de Estado do Níger e presidente em exercício da UEMOAO, Mamadou Youssouf, entregou ao Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, uma missiva cujo conteúdo não revelou e transmitiu um convite ao Chefe de Estado guineense para visitar a República do Níger.

Amadou, actual Ministro da Justiça do Níger avistou-se com o Presidente José Mário Vaz em Calequise, terra natal do dirigente guineense, situada à 100 kms da capital Bissau. A UEMOA tem acompanhado a crise despoletada em 12 de Abril de 2012 na Guiné Bissau e alertado as autoridades do país para a sua incapacidade em absorver o montante de 35 mil milhões de francos CFA, postos à disposição pela organização no âmbito do Fundo Regional integrado, dos oito países membros da zona monetária CFA. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA