Governo processará Delcídio do Amaral por calúnia e difamação

(AFP)

O governo anunciou nesse sábado que recorrerá à Justiça contra o senador Delcídio do Amaral, que apontou o envolvimento da presidente Dilma Rousseff no escândalo de corrupção da Petrobras, por declarações “caluniosas e difamatórias”.

“A Presidenta Dilma Rousseff determinou que sejam tomadas todas as medidas judiciais cabíveis contra o Sr. Delcídio do Amaral, para que ele seja responsabilizado, na forma da lei, por todas as suas declarações caluniosas e difamatórias”, diz o comunicado da Secretaria de Comunicação da Presidência da República.

“O governo reafirma que nunca interferiu nas investigações da operação Lava-Jato e nem criou obstáculos a seu livre desenvolvimento”, ao contrário do que afirmou o senador Delcídio do Amaral em entrevista à revista Veja.

Segundo o senador, a presidente Dilma e seu antecessor “tentam de forma sistemática obstruir os trabalhos da Justiça”.

Delcídio do Amaral afirma ainda que Dilma “sabia de tudo” sobre o financiamento ilegal de campanhas políticas que foi montado dentro da Petrobras.

“A Dilma herdou e se beneficiou diretamente do esquema, que financiou as campanhas eleitorais dela”, disse o senador que nessa semana se desfiliou do Partido dos Trabalhadores.

Segundo a Presidência, Amaral continua com sua “estratégia de vingança contra todos os que não agiram para evitar que fosse mantido preso pela revelação de que tentava obstruir investigações que poderiam prejudicá-lo” e “atribui a outros condutas ilícitas e imorais da sua exclusiva autoria”, acrescenta o comunicado.

Um dos homens de confiança do PT no Senado, Delcídio do Amaral aceitou colaborar com as autoridades depois de ficar quase três meses preso. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA