Governo da Guiné-Bissau concede nacionalidade a 15 refugiados de Casamansa

Governo da Guiné-Bissau concede nacionalidade a 15 refugiados de Casamansa Foto: Lusa/DR

O Governo da Guiné-Bissau concedeu a nacionalidade a 15 cidadãos de Casamansa, sul do Senegal, que se encontravam refugiados no país desde 1992, indicou hoje à Lusa, Sambé Na Wana, secretário executivo da comissão dos refugiados.

A decisão de conceder a nacionalidade foi tomada pelo Conselho de Ministros, na quinta-feira.

Segundo Sambé Na Wana, os 15 viram os seus pedidos admitidos numa lista de 79 pessoas, todas originárias da região de Casamansa e que solicitaram a nacionalidade guineense “há muito tempo”, indicou.

O secretário executivo da comissão guineense para os refugiados precisou que os indivíduos oriundos daquela região constituem a maioria de requerentes à nacionalidade guineense.

Um total de 481 refugiados têm processos em andamento, disse Sambé Na Wana.

A Guiné-Bissau acolhe atualmente mais de oito mil refugiados, dos quais 98 por cento são indivíduos originários de Casamansa, acrescentou.

A região sul do Senegal, situada entre a Gâmbia e a Guiné-Bissau, luta há mais de 30 anos contra o Governo do Senegal pela sua independência.

Fez parte do império português até ao início do século XX, sendo depois cedido a França. (Agência Lusa)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA