Governador de Luanda realiza visita matinal em escolas da Ingombota e Sambizanga

Alunos de uma escola de Luanda (Ilustração) (Foto: Gaspar dos Santos)

O governador da província de Luanda, Francisco Higino Lopes Carneiro, realizou nas primeiras horas de hoje, quarta-feira, uma visita as escolas Zinga Mbandi (Ingombota) e do 1 ciclo do ensino secundário 4011 (Sambizanga) para constatar as condições de trabalho e assiduidade dos professores.

No final da visita, em declarações à imprensa, o governador afirmou que o objectivo da visita foi ver se tudo esta conforme porque tem recebido várias informações, todos os dias, sobre a educação e saúde e também dos serviços administrativos.

“ Desta vez programei visitar escolas e podemos constatar a situação do próprio ensino, principalmente a aprendizagem dos alunos, as condições dos professores, das infra-estruturas que carecem de alguma intervenção no âmbito da manutenção para melhorar o conforto não só dos próprios alunos mas também daqueles que gerem e trabalham nas instituições escolares”, referiu.

Segundo o governador, a visita também teve um objectivo pedagógico, está-se somente a verificar a situação e não para “crucificar as pessoas”, mas para despertar a consciência destes funcionários que trabalham na educação, que tem a responsabilidade de formar o homem novo.

De acordo com o governador, todos os dias fala-se da necessidade de melhorar o ensino e esse melhoramento passa necessariamente pela conduta daqueles que ensinam, porque eles são os maestros a nível das instituições escolares.

Higino Carneiro afirmou que não esta preocupado com a situação, porque o que viu é entendível e compreensível, mas há necessidade de melhorar principalmente a assiduidade, responsabilidade e acabar com o absentismo, fazer a manutenção das infra-estruturas, garantir apoio técnico e financeiro que deve ser dado as instituições escolares com grandes dimensões como o Zinga Mbandi e a 4011 que possuem mais de dois mil alunos.

Quanto a falta de carteiras, afirmou ser um problema geral de Luanda que precisa de 60 mil carteiras e “temos que encomendar, por isso vamos estimular a produção interna que é a produção nacional”.

Questionado sobre o abastecimento de energia eléctrica nas escolas, o governador adiantou que as escolas tem energia, mas aos “solavancos” , situação resultante do abastecimento energético da própria província.

Higino Carneiro acredita que a partir de Junho o provimento energético estará melhor não só devido a energia proveniente do ciclo combinado do Soyo, mas também de Cambambe e no próximo ano a capacidade será cinco vezes maior da actual. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA