Familiar do activista Nuno Dala acusa sociedade angolana de descaso

Álvaro Nuno Dala (VOA)

O activista Nuno Álvaro Dala, cujo julgamento decorrer em Luanda juntamente com mais 16 colegas, encontra-se no Hospital Prisão de São Paulo há 12 dias numa greve de fome e em situação débil.

A irmã diz sentir que a sociedade trata-o com descaso, contrariamente ao que aconteceu a Luaty Beirão.

“Quando foi do caso do Luaty acho que o mundo se mexeu, agora com o meu irmão Nuno as pessoas parece que estão a fingir ou ignoram que a saúde do meu irmão está em jogo”, desabafa Gertrudes Dala.

A deputada pela bancada da UNITA Mihaela Webba pensa também haver um tratamento desigual da sociedade com o Nuno em relação ao Luaty.

”No caso do Luaty toda a sociedade se mexeu, os embaixadores europeus visitaram-no, a Rádio Despertar todos os dias falava sobre o estado de saúde de Luaty, mas agora com Nuno Dala não sinto esta mobilização e a situação do Nuno é melindrosa por ele ser diabético”, comentou Webba.

O político Sediangani Mbimbi alinha na mesma direcção, ao afirma que “os media desapareceram em relação ao Nuno Dala, por exemplo Marcos Mavungo também está a sofrer injustiça e não se vê o impacto que se viu em relação à greve do Luaty.

Ele pergunta ainda se se deve ao facto de ” Mavungo e Dala terem a pigmentação da pele diferente do Luaty, o que nós precisamos não é de racismo mas sim justiça”.

Entretanto, o activista cívico Adão Ramos não entende o assunto desta maneira.

“As duas greves foram em contextos e circunstâncias completamente distintas apesar de não se descurar o facto de Luaty ser mais mediático que eu e muitos de nós, mas neste caso a diferença de tratamento deve-se apenas ao contexto e as expectativas”.

Os familiares e amigos de Nuno Álvaro Dala temem pela vida do activista que continua a dizer que só abandona a greve de fome quando as autoridades deverem os seus pertences apreendidos quando foi presos a 20 de Junho de 2015. (VOA)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA