Executivo proíbe venda de marfim em Angola

Marfim (DR)

Um Decreto Executivo que proíbe a venda de marfim e seus derivados em Angola será apresentado sexta-feira, em Luanda, pela Comissão Multissectorial contra crimes ambientais e relacionados à Fauna e Flora Selvagem.

De acordo com um documento entregue à Angop, a comissão, que se reunirá na sua III sessão ordinária, vai apresentar os projecto de Lei dos Crimes e Transgressões Ambientais.

No evento será apresentada a estratégia para o encerramento das bancadas de comercialização de marfim, como é o caso do mercado do artesanato, no Benfica, em Luanda.

A instalação de piquete da Unidade de Crimes no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, Maria Teresa (Cuanza Norte) e Bengo, a apresentação do inventário do marfim e do modelo de farda a ser exibida pelos efectivos envolvidos nesta iniciativa são, entre, outros pontos, os que constam na agenda de trabalhos da III sessão ordinária da comissão, presidida pela ministra do Ambiente, Fátima Jardim.

Na primeira reunião da Comissão Interministerial contra Crimes Ambientais e Relacionados à Fauna e Flora Selvagem, realizada nos finais de 2015, Fátima Jardim dissera ser necessária uma resposta urgente à caça ilegal, sobretudo contra elefantes e rinocerontes.

Fátima Jardim avançara que a comercialização de artefactos de marfins deixaria de existir no país, como forma de desencorajar a matança dos animais e o consequente comércio dos seus derivados. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA