Encerrou reunião intergovernamental sobre domínios da internet em Marrocos

Sebastião Teta, secretário de Estado para as Tecnologias de Informação (Foto: Leonardo Castro)

A reunião intergovernamental sobre o domínio da internet, sob a égide do “ICANN”, organismo não governamental americano de gestão dos protocolos ou domínios da internet encerrou, quinta-feira, em Rabat, Marrocos, refere um documento a que a Angop teve acesso hoje.

No encontro que decorreu em Marrakech, de 5 a 10 de Março, Angola fez-se representar pelo secretário de Estado para Tecnologias de Informação, Pedro Sebastião Teta, num evento que congregou as Comissões do Grupo Africano e intergovernamental a nível mundial.

Na ocasião, Pedro Teta disse que os países consideram que a internet é uma conquista da humanidade e que não deve ser gerido apenas por um único país, não obstante a contribuição dos Estados Unidos.

“América predispõe-se em aprovar o processo de transição da gestão e partilha do domínio, cujo documento final deve ser hoje aprovado e submetido a administração Americana, para até Setembro deste ano, se tornar um direito adquirido pelo mundo”, sublinhou Pedro Teta.

Acrescentou que, inicialmente os estados discordavam da proposta apresentada pelos Estados Unidos de América, em manter ainda assim um direito de veto, situação que os países Latino-americanos não encaram com agrado, mas que acaba por ser ultrapassada, porque os demais países entendem que se deve ir conquistando paulatinamente esse direito.

“Angola, a princípio apoiou o processo de transição, não obstante essas questões, e com o tempo debelará a questão da tutela que acreditamos que será aceite”,disse o secretario de Estado, Pedro Teta.

O fórum teve por objectivo discutir a transferência da tutela a gestora de protocolos de internet “ ICANN” de América para o mundo.

Outra questão em análise foi sobre o domínio África, que a União Africana deliberou que fosse gerido pelos africanos, mas que por distracção dos africanos acabou por ser registado por uma cidadã Etíope-americana, um diferendo levado à justiça americana, e que se espera que venha resultar num consenso, para que o domínio África, pertença aos africanos sob a égide da União Africana.

Os ministros africanos são unânimes em que se deve elaborar um documento único levado ao tribunal americano em apoio a África, buscando consenso com ICANN e a cidadã em causa.

À par da reunião, o Secretário de Estado das Tecnologias de Informação, Pedro Teta, visitou a Embaixada de Angola em Rabat, e comprometeu-se a prestar o apoio necessário para o apetrechamento do centro de documentação, quer em material físico como digital, para facilitar as pesquisas dos estudantes angolanos naquele país.

A ICANN, entidade de identificação dos endereços electrónicos, é um organismo não governamental tutelado pelo Departamento de Comercio Americano. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA