EI reivindica atentados com mais de 30 mortos em Bruxelas

(AP)

Duas explosões atingem aeroporto internacional Zaventem e uma ocorre na estação de metro de Maelbeek, perto de prédios da UE. Há mais de 180 feridos. Bélgica eleva ao máximo o nível de alerta anti-terrorismo.

A capital da Bélgica e sede da União Europeia e da Otan amanheceu sob ataque nesta terça-feira (22/03). Pouco antes das 8h (hora local), duas explosões foram ouvidas no aeroporto internacional Zaventem – uma delas teria ocorrido no balcão da companhia aérea American Airlines, no sector de embarque.

Pouco tempo depois, as autoridades afirmaram ter havido uma explosão na estação de metro de Maelbeek, no centro da capital, localizada próxima aos escritórios da UE. As múltiplas explosões deixaram ao menos 31 mortos e mais de 180 feridos. Algumas autoridades falam em 34 mortos.

Testemunhas relatam ter visto fumo a sair de um dos terminais, e as primeiras imagens mostram destruição nos prédios e pessoas em fuga. Outras testemunhas afirmaram ter ouvido tiros antes das explosões. De acordo com uma testemunha citada pela agência de notícias Reuters, alguém teria gritado palavras em árabe.

As explosões ocorrem quatro dias após a captura, em Bruxelas, de Salah Abdeslam, principal suspeito de arquitectar os ataques de Paris em Novembro de 2015.

O governo da Bélgica elevou ao máximo o nível de alerta no país, para o grau 4, que indica ameaça “séria e iminente”.

16h30 – O “Estado Islâmico” (EI) reivindicou a autoria dos ataques em Bruxelas, segundo a agência de notícias Amaq, que apoia a organização terrorista. “Combatentes do EI realizaram uma série de atentados com cintos de explosivos e outros dispositivos nesta terça-feira, tendo como alvo um aeroporto e uma estação de metrô no centro de Bruxelas, capital da Bélgica”, disse a Amaq. (DW)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA