Dona do Diário Económico sob administração judicial

(Pedro Elias/Jornal de Negócios)

A ST&SF, que detém o Diário Económico, entrou em Processo Especial de Revitalização, que visa evitar a insolvência.

A ST&SF, empresa do grupo Ongoing que detém o Diário Económico e a ETV, apresentou um Processo Especial de Revitalização, plano através do qual poderá negociar as dívidas com os credores.

De acordo com o anúncio publicado esta sexta-feira, 18 de Março, no portal Citius, o pedido foi subscrito pela empresa Albuquerque da Costa Lima, Unipessoal, Lda. A publicação do PER no portal acontece no mesmo dia em que saiu para as bancas a última edição em papel do jornal devido às dificuldades financeiras e de recursos que o jornal enfrenta há meses.

Além disso, no âmbito deste processo, a Comarca de Lisboa nomeou Maria Paula Mattamouros Resende como administradora judicial provisória da empresa no dia 14 de Março, três dias antes da administração da Ongoing anunciar a suspensão da publicação impressa do Diário Económico.

A publicação do PER no portal acontece no mesmo dia em que saiu para as bancas a última edição em papel do jornal devido às dificuldades financeiras e de recursos que o jornal enfrenta há meses.

O anúncio da suspensão da edição em papel do jornal foi comunicado na quinta-feira à redacção pelo administrador Gonçalo Faria de Carvalho. O site e o canal de televisão vão continuar a funcionar.

Os credores da ST&SF têm agora 20 dias para reclamar os créditos junto do administrador judicial que, no prazo de cinco dias elaborará uma lista provisória de créditos.

Há meses que a empresa enfrenta problemas financeiros, tendo em atraso o pagamento a fornecedores e também aos cerca de 140 trabalhadores.

Esta situação levou mesmo à penhora das receitas por parte do Fisco, a qual foi entretanto levantada tendo a ST&SF dado a marca como garantia.

Face à degradação das condições de trabalho, a direcção editorial apresentou a demissão do cargo e os trabalhadores avançaram com uma greve de 24 horas no passado dia 10 de Março.

A ST&SF é a terceira empresa da Ongoing a avançar com um pedido de revitalização, depois do grupo presidido por Nuno Vasconcelos ter entrado em colapso com a queda do BES e da PT, operadora que durante anos distribuiu dividendos avultados. A Ongoing Strategy Investements, casa mãe do grupo, e a Insight Strategic Invesments também estão sob administração judicial. (Jornal de Negocios)

por Sara Ribeiro

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA