Dois feridos durante um tiroteio no Capitólio de Washington

(EL PAIS)

Polícia atira em um homem que empunhava uma arma e uma mulher termina ferida.

polícia prendeu na segunda-feira um homem após um tiroteio no centro de visitantes do Capitólio dos EUA, em Washington. A pessoa detida, que empunhava uma arma contra a polícia, terminou ferida e levada a um hospital, informou a polícia. Os autores dos disparos foram policias, que também feriram uma mulher durante o incidente. Os primeiros indícios apontam para um homem com uma desordem mental, sem objectivos terroristas e que agiu sozinho.

O incidente ocorreu num momento em que os legisladores estão de férias pelo feriado da Semana Santa e as grandes cidades dos EUA reforçaram sua segurança após os atentados da semana passada em Bruxelas, onde 35 pessoas morreram e foram reivindicados pelo Estado islâmico.

O centro de visitantes, um ponto turístico frequente em Washington, está localizado sob o Capitólio. É possível chegar ao centro através de uma praça localizada na parte traseira do edifício. O incidente ocorreu no auge turístico da capital norte-americana, coincidindo com a floração das cerejeiras em torno do jardim do National Mall, que abriga os monumentos nacionais.

O incidente levou as autoridades a bloquear por cerca de uma hora os acessos ao Capitólio, que abriga a Câmara de Deputados e o Senado, e também a Casa Branca.

O suspeito era conhecido pelas autoridades de segurança do complexo legislativo. Em Outubro passado, ele foi preso depois de interromper uma sessão da Câmara dos Deputados, enquanto gritava que era um “profeta de Deus”, de acordo com o canal de televisão MSNBC. A pessoa estava proibida de se aproximar do Capitólio, de acordo com uma ordem judicial.

A polícia recolheu uma arma no lugar do incidente e encontrou o carro do suspeito perto do centro de visitantes, que tem planos de reabrir as portas na terça-feira. “Com base na investigação inicial, acreditamos que este é o ato de uma só pessoa que frequentava as instalações do Capitólio. Não há razão para acreditar que seja algo mais do que um ato criminoso”, disse o chefe da polícia do Capitólio, Matthew Verderosa, em conferência de imprensa.

Um funcionário do Governo, citado pela Reuters, disse que não foram encontradas evidências de uma possível conexão terrorista.

O incidente provocou o caos no centro de visitantes com dezenas de pessoas tentando fugir, como mostram vídeos de alguns dos participantes.

Washington é uma das cidades com mais restrições na compra e uso de armas, mas não está livre dos tiroteios e da violência armada nos EUA.
Dois mortos em 1998

Em 1998, dois policiais foram mortos a tiros dentro do Capitólio por um homem com problemas mentais, o que levou ao reforço da segurança nas instalações.

O último incidente significativo em Capitólio ocorreu em Outubro de 2013, quando uma mulher foi baleada nas imediações da instalação, após uma perseguição de carro entre a Casa Branca e o Congresso.

Um mês antes, um ex-reservista do Exército abriu fogo indiscriminadamente contra o Comando de Operações da Marinha em Washington, matando 12 pessoas. (EL PAIS)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA