Depois dos táxis, Uber investe em transporte de carga em caminhões

(REUTERS/ Shannon Stapleton)

Após investir no segmento de táxis alternativos e provocar polêmica com sindicatos da categoria não só no Brasil como em vários outros países, a Uber se prepara para entrar no mercado de transporte de carga de caminhoneiros autônomos. O mexicano Carlos Salazar, um dos fundadores do Uber, criou a Cargo X, em operação desde novembro.

A proposta da empresa é gerenciar o transporte de diversos tipos de carga, oferecendo desde treinamento aos caminhoneiros até a responsabilidade total durante o transporte, assumindo a responsabilidade por eventuais roubos de carga. A empresa conta com recursos de R$ 100 milhões, obtidos pelos fundos de investimento Valor Capital Group e Lumina Capital e a serem investidos nos próximos dois anos.

A Cargo X estima que os caminhoneiros autônomos rodam com uma ociosidade de 30%, daí a importância de um sistema compartilhado que possa, assim como nos taxis, oferecer avaliação do serviço prestado não só quanto à qualidade dos veículos quanto também em relação ao atendimento e à capacitação dos motoristas. A empresa conta hoje com um cadastro de 100 mil caminhoneiros em todo o país.

Sputnik tentou entrar em contato, sem sucesso, com representantes da Cargo X no Brasil. Procuradas, a Associação Brasileira dos Caminhoneiros, a União Nacional dos Caminhoneiros (Unicam) e a Confederação Nacional dos Transportes (CNT) não comentaram o assunto. O presidente do Movimento Brasil Caminhoneiro, Nélio Botelho, não estava disponível para entrevista até o fechamento desta matéria. (SPUTNIK)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA